Uma celebração da biodiversidade e da justiça social!


Publicado em 25/05 às 11h

Por Susana Prizendt        C. P. C. A. P. V. e MUDA-SP

Nos últimos meses, tanto no Brasil, como no mundo, estamos passando por um período dramático de retrocessos sociais e ambientais. Governos discriminatórios e negacionistas das mudanças climáticas, causadas pela espécie humana, assombram vários continentes. Aqui, em nosso país tão marcado por uma história de séculos de exploração da natureza, dos povos tradicionais e dos trabalhadores, o avanço destruidor sobre os direitos, arduamente conquistados pela sociedade, está sendo promovido por um governo ilegítimo, amparado pelo poder econômico internacional.

Mas, mesmo nesse triste cenário, nossa população e nossa abençoada natureza revelam o quanto ainda estão vivas e dispostas a buscar um modo de viver mais harmonioso e solidário. Se alguém ainda tinha dúvidas do poder revigorante dos camponeses, que cultivam de modo agroecológico em nossas terras, essas dúvidas se diluíram... A 2ª. Feira da Reforma Agrária, realizada no Parque da Água Branca, em São Paulo, entre os dias 4 e 7 de maio, foi uma verdadeira celebração da vida!

Camponeses de assentamentos de todas as regiões de nosso país trouxeram 250 toneladas de sua produção, para serem comercializados a preços populares, diretamente com os paulistanos. Foram cerca de 800 diferentes tipos de alimento, representando a riqueza de nossa biodiversidade e de nossa cultura agroalimentar. Frutos amazônicos, do cerrado, da mata atlântica, dos pampas, formaram um mar de cores, aromas e sabores nos galpões repletos de barracas que compõem o parque. Receitas passadas através de gerações foram degustadas com alegria por todos que passaram pelo local.

Para completar a festa, um conjunto de manifestações culturais e debates envolveu os participantes do encontro, renovando o compromisso que temos em seguir em busca de uma sociedade digna, saudável e amorosa. Sim, é possível ter harmonia entre os seres humanos e os demais seres que habitam nossa mãe terra. Sim, é possível estabelecer relações fraternas e justas entre os povos que compartilham nosso território. Sim, é possível nutrir nossa sociedade com alimentos íntegros, saborosos e livres de venenos químicos ou econômicos!

Viva a reforma agrária popular, viva a agroecologia, que venham ainda muitas edições dessa feira tão vigorosa para nos inspirar na caminhada!

 



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS