Uma chance perdida de coroar uma gestão ao banir os agrotóxicos mais danosos


Publicado em 06/01 às 16h

Por Susana Prizendt        

No último ano de um mandato de 4 anos, pautado pela atenção com a área de Segurança Alimentar e Nutricional no Município de São Paulo, o prefeito Fernando Haddad surpreendeu os movimentos sociais do setor ao vetar o PL 891/2013,  que propõe a proibição de diversos agrotóxicos já banidos em outros países.

Embora tenha emitido uma nota com uma justificativa para o veto, a mencionada administração não conseguiu desfazer a decepção de todos aqueles que com ela dialogaram durante esse anos em busca de uma sociedade com mais saúde e qualidade de vida. Os argumentos, baseados  sobretudo nas dificuldades econômicas que o PL poderia trazer ao Município, foram imediatamente contestados pelas organizações sociais com os dados que revelam os imensos prejuízos que essas substâncias vêm causando aos cofres públicos de todo o país.

Justamente por ter realizado ações importantíssimas no setor de SAN, como a aprovação da lei da merenda orgânica nas escolas municipais; a criação da COSAN (Coordenadoria de segurança alimentar e Nutricional de São Paulo); a elaboração do PLAMSAN (Plano de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo); o estímulo à agricultura familiar nas áreas rurais do Município; a implantação da compostagem dos resíduos orgânicos, oriundos de feiras livres, para a geração de adubo a ser usado no cultivo de alimentos, entre tantos outros feitos, o veto ao PL 891/2013  foi uma ação inesperada e contraditória à orientação que prevaleceu até então na administração paulistana.

Além de ter assinado a Carta de Compromissos pela Alimentação Saudável em São Paulo (que trazia em suas propostas o banimento de tais agrotóxicos), o ex- prefeito vinha dialogando constantemente com pessoas e organizações, que o nutriam com informações essenciais sobre a importância de combater os venenos usados no cultivo de alimentos, devido aos efeitos extremamente danosos que provocam à saúde e ao ambiente.

Perdemos assim, a chance de ver coroado um trabalho de 4 anos que buscou a valorização da SAN no Município e que poderia ter dado um exemplo tão inspirador aos municípios do país inteiro, se tivesse tido a iniciativa de sancionar o PL em questão.

Agora, resta à sociedade se reorganizar na luta contra os agrotóxicos e tentar derrubar o veto através da mobilização da nova Câmara Municipal ou construir um novo PL com a ajuda de vereadores comprometidos com esta causa.

De qualquer modo, uma carta de repúdio ao veto já foi redigida e divulgada por organizações que tanto se empenharam para a conquista de um município livre dessas substâncias tão nocivas e desnecessárias.  Você também pode ajudar a derrubar o veto, basta assinar a nossa petição. Mobilize suas redes e vamos seguir firmes em 2017!

https://secure.avaaz.org/po/petition/Vereadores_da_Cidade_de_Sao_Paulo_Derrubem_o_VETO_do_PL89113_dos_Agrotoxicos/?aZJUObb

 



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS