Vamos consumir trigo-sarraceno DIARIAMENTE para proteger os sistemas imune e cardiovascular


Publicado em 27/05 às 17h

         Por Conceição Trucom – DoceLimão

 

        Nossa grande mestra da agricultura orgânica, Dra Ana Primavesi, consumia, todos os dias, esse alimento delicioso, que é tema de nosso texto de hoje. E ele foi companheiro das refeições de nossa professora até seus 99 anos, ajudando-a a manter a vitalidade!

         Chama-se trigo, mas não é cereal, é na verdade um pseudo-cereal. Chama-se trigo, mas não contém glúten. O trigo-sarraceno é a semente de um fruto aparentado com o ruibarbo e as azedas, apresenta uma forma triangular - na verdade piramidal - com casca bastante dura.

         Segundo a Macrobiótica o Sarraceno é o alimento que deve ser consumido DIARIAMENTE. Por ser o alimento do reino vegetal com maior teor de rutina (vitamina K), cuja função principal é cuidar das artérias, veias e vasos (incluso os capilares) e, em dupla dinâmica com a vitamina C, ativar a competência dos sistemas imune e cardiovascular.

          Aqui no Brasil não encontramos esta semente descascada com os grãos 100% inteiros. Normalmente ela vem com cerca de 30% bem quebrada e trincada, motivo pelo qual não é possível germiná-lo, somente hidratá-lo por 8-12 horas.

          Tem muitos nomes regionais: sarraceno, trigo sarraceno, trigo mourisco, trigo mouro, trigo preto (Fagopyrum esculentum), uma planta da família Polygonaceae. Planta anual, de caule ereto, herbáceo, ramificado, folhas alternas, sagitadas, uma única raiz principal ramificada. Inflorescência reunida num racemo corimbiforme, com flores hermafroditas. O fruto é um aquênio trígono. Do ponto de vista botânico tem sido identificadas 58 variedades distribuídas em duas subespécies (vulgaris e multifolium).

O Sarraceno chegou ao Brasil, por volta do século XX, na região sul, que produz uma quantidade considerável da gramínea, inclusive para exportação.

         Na prática, tomando como base para identificação as características dos grãos, são reconhecidas apenas três variedades: Japonesa, Prateada e Comum.

Nativo da Ásia Central, o trigo sarraceno chegou à Europa durante a Idade Média, ocupando na agricultura européia, uma posição relevante até o descobrimento das Américas, quando foi introduzido o milho. O cultivo ficou restrito aos terrenos montanhosos e com limitações ecológicas. No Brasil, o cultivo foi introduzido no sul, na região das serras gaúchas, por colonos eslavos e se popularizou nos anos de 1928 a 1930. De 1966 a 1974, o Brasil exportou 185 mil toneladas de grãos de mourisco, principalmente, para a Europa e Japão.

 

          Alimentação Humana

 

          Os seus grãos, embora pequenos, apresentam vários benefícios para a saúde. A sua cor - após descascado - varia do rosa escuro ao castanho.

          Na cozinha polaca, russa e judaica, o trigo-sarraceno é usado para fazer uma papa, chamada kacha, ou kache. Na cozinha ucranianao trigo-sarraceno se chama hretchka e é largamente usado no dia-a-dia e também para confecionar um dos pratos do menu natalino– a kutia. Na cozinha bretã a farinha do trigo sarraceno faz parte da massa dos crepes. Na cozinha japonesa, o trigo-sarraceno é chamada de sobá e é largamente consumido no dia-a-dia pelos japoneses como um prato de macarrão mergulhado em caldo quente à base de shoyu, como uma sopa, acrescido de vários tipos de ingredientes desde algas a tempurá, ou com caldo à parte, normalmente gelado (consumido muito no verão).

          É considerado um alimento energizante e nutritivo, apresenta altas quantidades de farelo, sendo a variedade integral a mais nutritiva. Uma vez que o Sarraceno não contém glúten, é apto para uma dieta celíaca. Apresenta mais proteína do que o arroz, trigo ou milho. Portanto, excelente fonte de proteínas, ferro, vitaminas C, K e rutina (vitamina K1). É também fonte de manganês, magnésio (o magnésio é um mineral que ajuda a baixar a pressão dos vasos sanguíneos) e fibras dietéticas. Uma xícara (chá) de Sarraceno contém cerca de 86 miligramas de magnésio. Os seus efeitos benéficos também estão ligados à presença de flavonoides, com destaque para a rutina (Vitamina P) e a quercetina. Estes previnem inúmeras doenças, com sua potente ação antioxidante. Pesquisas afirmam que uma alimentação rica em grãos integrais, como o Sarraceno, previne doenças cardiovasculares, incluindo a aterosclerose, diabetes e obesidade, entre outras, devido ao seu teor de fibras e outros compostos, como gorduras polinsaturadas. Costuma ser considerado um fortificante natural, pois "cuida" das veias, vasos, artérias e capilares, prevenindo doenças do coração e hemorragias, além de proteger o sistema nervoso. E mais, previne a osteopenia...

          Além de ser um excelente aliado das pessoas celíacas, o trigo-sarraceno é uma ótima fonte de energia e uma das muitas alternativas ao arroz e à massa e até mesmo à aveia na hora de preparar uma papa nutritiva para a refeição matinal.

          De acordo com o site World Healthiest Foods, uma xícara (chá) de Sarraceno (cerca de 170 gramas) fornece 34% da dose diária recomendada de magnésio, mineral essencial para a boa saúde muscular.

Mas os benefícios deste alimento são muito mais amplos. Ajuda a prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares, uma vez que atua diretamente na regulação dos níveis de colesterol, e é ainda um agente preventivo da Diabetes, pois controla os níveis de açúcar no sangue. É um alimento indicado para conter quedas de cabelos, melhorar o funcionamento do intestino. Por sua riqueza em rutina (Vitamina P) e vitamina C torna-se um alimento de elevada ação antioxidante, portanto anti-cancerígeno .

          Além de ser uma fonte de energia e de ter um poder anti-inflamatório, o Sarraceno pode ser também um substituto da carne e do peixe devido aos seus níveis de proteína, cerca de 6 gramas por cada 170 gramas de produto. A mesma quantidade fornece ainda 4,54 gramas de fibra alimentar e os bons níveis de ferro fazem deste alimento também uma boa aposta no combate à anemia. A nível nutricional, o Sarraceno contém vitamina A, vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6 e B12), vitamina C, E e K.

        Aqui, você encontra em inglês todos os componentes nutricionais deste alimento.