Agrobiodiversidade Funcional é um caminho para conquistarmos um novo modelo de produção


Publicado em 21/02 às 14h

 Por Valéria Paschoal - VP Consultoria Nutricional

           Grande parte das atividades agrícolas convencionais produzem impactos significativos no solo, clima, rios e espécies da fauna e flora, comprometendo a nossa biodiversidade.

           Diante desta realidade, existe a possibilidade de desenvolvimento de um conjunto de atividades agrícolas para a conservação da biodiversidade, como consorciação, rotação e práticas de agricultura orgânica e biodinâmica. Entretanto, ainda são necessários mais incentivos para ampliarmos as soluções no setor da produção de alimentos rentáveis e ecologicamente adequados.

           A Agrobiodiversidade Funcional (ABF) reúne os conceitos que definem uma base para a sustentabilidade no sistema de produção de alimentos. Esses conceitos vêm sendo estudados para modificar o sistema de monoculturas, não apenas no cultivo para alimentação, mas, também, na produção de madeira e energia. A agrobiodiversidade funcional leva em conta os elementos da biodiversidade, tanto dos campos agrícolas, quanto da paisagem, fornecendo subsídios ecossistêmicos que incentivam e apoiam produções agrícolas sustentáveis, proporcionando benefícios para o ambiente local, regional e global.

           Os conceitos da agrobiodiversidade funcional certamente podem ser adotados pelos sistemas agrícolas convencionais ou para uma gestão mais íntegra da paisagem, pois enfatizam a aplicação e o desenvolvimento de práticas que trazem melhorias para o uso de elementos da biodiversidade.

          

            Conceitos da Agrobiodiversidade Funcional:

 

            - Inclusão de plantas atrativas de polinizadores;

            - Uso de plantas repelentes às pragas e doenças;

            - Uso de plantas para produção de biomassa;

            - Utilização de coquetel de plantas consideradas “adubos verdes”;

            - Uso de plantas para reciclagem de nutrientes verticalmente;

            - Utilização de plantas que aceitam podas para fertilização de superfície;

            - Uso de rotação de culturas ou plantas para ativação da agregação do solo;

            - Utilização de plantas para aumentar o efeito supressivo do solo;

            - Utilização de árvores para melhorar o conforto térmico;

            - Implantação de árvores para produção de alimentos para “avifauna”;

            - Construção de “corredores de conectividade”;

            - Utilização de consórcio com plantas alimentícias não convencionais – PANC’s;

            - Utilização de consórcio de plantas medicinais: ervas, temperos, plantas artesanais.

 

           Pensando na valorização da nossa biodiversidade que tal preparar um suco refrescante de cambuci?

 

           Receita: Suco refrescante de cambuci

 

           Ingredientes:

-1 litro de água

-7 frutas de Cambuci

 

           Modo de preparo: Bata tudo no liquidificador, prontinho!