Comunidade que Sustenta a Agricultura participa de Mapeamento de Mercados Territoriais na AL


Publicado em 18/12 às 15h

Comunidade que Sustenta a Agricultura participa de Mapeamento de Mercados Territoriais na AL

Por Ariel de Andrade Molina CSA Brasil

A CSA Brasil e a URGENCI (rede internacional de CSA) participaram da atividade de Mapeamento de Mercados Territoriais na América Latina e Caribe, que foi sediado no município de San António de Areco, na Argentina, no período de 14 a 16 de novembro de 2019. A atividade foi uma oficina realizada pela FAO (Organização para Agricultura e Alimentação da ONU), Via Campesina e diversos movimentos de camponeses, indígenas e da agricultura familiar na América Latina e Caribe, que estiveram reunidos para conhecer a metodologia e realizar pequenas adaptações, visto que esse mesmo mapeamento está sendo feito na África e Ásia.

Afinal, o que são mercados territoriais? Pela definição do Comitê de Segurança Alimentar da ONU, os mercados territoriais são: “mercados altamente diversificados, através dos quais é oferecido a maior parte dos alimentos consumidos no mundo, que podem operar em espaços territoriais que vão do nível local ao regional e transfronteiriço, e podem estar localizados em um ambiente rural, urbano ou periurbano, ou cobrir todos esses contextos. Eles estão diretamente ligados a sistemas alimentares locais, nacionais ou regionais. Isso significa que os alimentos em questão são produzidos, processados e comercializados dentro desses sistemas”.

A metodologia apresentada pela FAO está sendo revisada e planejada para sua aplicação em diferentes tipos de mercados territoriais no Brasil por diferentes organizações do campo. Essa metodologia também pode ser aplicada para as CSA, que, embora não sejam mercados, também são iniciativas em que a produção de alimentos na agricultura familiar pode fornecer dados para o mapeamento e se beneficiar dos resultados esperados.

Um dos principais objetivos do mapeamento de mercados territoriais é compreender o quanto de alimento da agricultura familiar, orgânica e agroecológica é ofertado diretamente aos consumidores em diferentes localidades. A partir do levantamento desses dados, agricultores, ativistas e pesquisadores podem trabalhar com dados concretos que poderão servir, entre outras coisas, para o aprimoramento de políticas públicas voltadas para a alimentação, agricultura e biodiversidade.

Em breve, serão publicados mais detalhes do mapeamento de mercados territoriais no Brasil e na América Latina e nós voltaremos a escrever sobre o tema! Avante CSA!