As mudanças climáticas afetam mulheres e meninas mais intensamente e é preciso agir agora!


Publicado em 26/11 às 10h

Por equipe ActionAid

Eventos climáticos perigosos, secas, colheitas perdidas, entre outros fatores, podem se tornar grandes desastres para quem vive em situação de pobreza. Para mulheres e meninas em situação vulnerável, as mudanças climáticas não resultam simplesmente em verões mais quentes. Significam padrões climáticos mais extremos e menos previsíveis, menos comida e acesso a água potável, além de condições de vida instáveis, culminando em novas ameaças aos seus direitos básicos.

A mudança climática afeta mulheres e meninas mais intensamente porque exacerba as já existentes consequências da desigualdade de gênero. Em muitos contextos, desastres relacionados ao clima, como inundações ou secas, levam a inseguranças nos meios de subsistência das famílias, que acabam retirando as meninas da escola e, muitas vezes, as transferindo para o trabalho doméstico – as expondo a diversos riscos.

Mulheres e meninas são mais vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas porque:

  • É mais provável que seus alimentos e sua renda venham diretamente da terra e de recursos naturais que estão sendo ameaçados.
  • Em suas famílias, tendem a ser as responsáveis por garantir água, comida e combustível para cozinhar e aquecer. (1) Muitas vezes, são mulheres e meninas, por exemplo, que caminham grandes distâncias para encontrar água quando as fontes locais estão secas.
  • Elas enfrentam elevado risco de violência de gênero durante e após desastres causados por eventos climáticos severos e, quando forçadas a deixarem suas casas, tornam-se mais vulneráveis ao casamento precoce, gravidez na adolescência, estupro e tráfico. (2)

Por questões sociais e culturais elas enfrentam mais limitações que os homens para recorrer a formas alternativas de trabalho quando os piores efeitos das mudanças climáticas tornam impossível o trabalho na terra. Nove em dez países em todo o mundo têm leis que impedem as oportunidades econômicas das mulheres, como aquelas que as impedem de trabalhar em fábricas, trabalhar à noite ou conseguir um emprego sem a permissão do marido. (3)

Mulheres como agentes de mudança na luta contra as mudanças climáticas

Pesquisas mostram que, quando as mulheres participam da tomada de decisões em nível nacional e comunitário, seu forte conhecimento e experiência são essenciais para a adoção de soluções eficazes para mitigar os efeitos severos das alterações climáticas.

Por conta de seus papéis tradicionais e culturais nas suas famílias, muitas vezes atuam como administradoras dos recursos naturais e domésticos. Todos os dias, bilhões de mulheres em todo o mundo tomam decisões que influenciam o meio ambiente, seja preparando alimentos para suas famílias (escolhendo alimentos e combustível), como agricultoras (influenciando as emissões de carbono do solo) ou como consumidoras (tomando decisões de compra). (4)

Esses papéis culturais posicionam bem as mulheres para contribuir com novas estratégias para meios de subsistência sustentáveis e resilientes ao clima.

O que a ActionAid está fazendo para apoiar a resiliência climática de mulheres e meninas

A ActionAid está trabalhando nos países mais pobres do mundo para apoiar as mulheres a assumirem papéis de liderança e garantir que suas vozes sejam ouvidas. Sabemos que, quando as mulheres têm poder para participar da tomada de decisões, comunidades inteiras se beneficiam. É por isso que colocamos mulheres e meninas no centro de tudo o que fazemos.