Mais de 160 mil brasileiros assinaram as petições contra o uso e a liberação crescentes de venenos


Publicado em 19/08 às 10h

Por Benjamin Prizendt - C. P. C. A. P. V. e MUDA-SP

No último dia 6 de agosto, três abaixo-assinados contra a liberação de agrotóxicos, organizados pela Change.org, foram entregues, pela antropóloga e educadora ambiental Letícia Antonioli, ao coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, o deputado federal Nilto Tatto (PT-SP), e ao líder da oposição na Câmara, ex-coordenador da Frente, o dep. Alessandro Molon (PSB-RJ),.

São 160 mil assinaturas de pessoas que não aceitam o ritmo acelerado de aprovação de pesticidas no país e a quantidade recorde de substâncias registradas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)- 262 substâncias desde janeiro deste ano.

Os abaixo-assinados visam pressionar os parlamentares a rejeitarem o Projeto de Lei 6.299/2002, conhecido como “Pacote do Veneno”, que pretende flexibilizar a Lei Federal de Agrotóxicos (7.802/89), que trata do registro, fiscalização e controle dos pesticidas.

Segundo Nilto Tatto, a alternativa ao “Pacote do Veneno”, é o PL 6.670/2016 que pretende instituir a PNaRA (Política Nacional de Redução de Agrotóxicos). Em sua avaliação “sem dúvida nenhuma esse abaixo-assinado da Change.org tem um poder muito grande de influenciar a postura e o posicionamento dos deputados dentro da Câmara Federal que vão apreciar os projetos de lei que tratam sobre os agrotóxicos”.

O deputado federal Alessandro Molon também se pronunciou sobre a mobilização construída pelos cidadãos a partir dos três abaixo-assinados: “considero muito importante a participação da sociedade brasileira demonstrando seu repúdio à liberação generalizada de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro, através de milhares de assinaturas. Nosso povo está dizendo que não quer que coloquem veneno em nosso prato. Basta”.

Não bastasse a liberação absurda de novos agrotóxicos, desde o início do governo Bolsonaro, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão que avalia a segurança desses produtos para a saúde humana, promoveu, recentemente, a reclassificação toxicológica de 1.924 substâncias. Segundo o novo marco regulatório da Anvisa, apenas os agrotóxicos com risco potencial de causar morte quando ingeridos ou em contato com pele e olhos serão rotulados como “extremamente” tóxicos. Assim o número dessas substâncias caiu de 702 para apenas 43...

A educadora ambiental Letícia Antonioli desenvolve, há 30 anos, palestras, exposições, fóruns e cursos em parques nacionais, escolas e comunidades rurais, além de associações de moradores no Estado do Piauí e em Brasília. São exemplos assim que nós, do Boletim, apoiamos e acreditamos que dão força à luta pela alimentação saudável e à construção de um modelo de agricultura sem a utilização de veneno.

Assine você também a petição e venha conosco na mobilização por alimentos livres de agrotóxicos!

 

 



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS