Rotulagem de alimentos precisa atender aos consumidores com mais clareza, mobilize-se!


Publicado em 21/03 às 14h

Por Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável

Desde 2014, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vem dizendo que irá mudar a rotulagem de alimentos para tornar as informações mais claras aos consumidores.

Já foram realizados debates com especialistas do tema, organizações já apresentaram suas propostas de rotulagem e pesquisas científicas, tudo para deixar a decisão da agência mais assertiva. Contudo, apesar de muito ter sido feito ao longo dos anos, a Anvisa puxou o freio de mão em julho do ano passado e paralisou o processo.

Agora queremos saber: por que a demora? Quando o processo voltará a andar?

Em um Relatório Preliminar publicado em maio de 2018, a agência recomendou a adoção de um modelo de advertência como o defendido pela Aliança por considerar a opção mais eficiente para informar o consumidor sobre as características nutricionais dos produtos.

Outras opções, como o semáforo nutricional, defendido pela indústria de alimentos, foram consideradas ineficientes pelos técnicos da Anvisa.

Comprovado: é hora de mudar

Após a divulgação do relatório, a Anvisa realizou em julho uma consulta à sociedade com o objetivo de colher dados e informações técnicas para aperfeiçoamento da proposta.

A tomada pública contou com 3.579 participantes, e 90% se manifestaram favoravelmente à alteração na forma de apresentação das informações nutricionais.

Apoio Internacional

Em março do ano passado, foi divulgada uma carta assinada por 26 especialistas e pesquisadores, referências mundiais no estudo sobre obesidade, diabetes e nutrição em saúde pública, em apoio ao modelo de rotulagem nutricional defendido pelo Instituto.

No final do ano, o diretor-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) José Graziano da Silva divulgou apoio à campanha Direito de Saber.

E agora? Temos cobrado incessantemente um novo posicionamento da Anvisa. Em novembro, por exemplo, a Aliança lançou uma campanha para reafirmar seu posicionamento: com rótulos mais compreensíveis e informação adequada para que as pessoas possam fazer escolhas alimentares mais conscientes e, consequentemente, mais saudáveis.

A agência prometeu, até o final de março, avançar no processo regulatório. Será que dessa vez ela vai bater o martelo?

CONTINUE COBRANDO A ANVISA!

Você e todos os brasileiros têm o direito de saber o que comem



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS