Alimentos saudáveis direto do campo são oferecidos em novas feiras do MST


Publicado em 22/08 às 11h

Por Redação RBA

 

Armazém do Campo iniciou, no dia 21 de julho, uma nova parceria com o Instituto Chão, na qual levará à zona oeste de São Paulo uma feira de fomento à agricultura familiar, apenas com produtos orgânicos. O evento é realizado na sede do Instituto Casa da Cidade, localizado na Rua Rodésia, 398, no bairro da Vila Madalena. "O nosso objetivo é proporcionar à população um espaço para consumir produtos de primeira qualidade que o MST produz, conta Gustavo Vidigal, do Instituto Casa da Cidade.

Em sua abertura, a feira contou com mais de 100 itens produzidos por agricultores familiares de assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e atraiu muita gente interessada em alimentos saudáveis. "Eu prefiro comprar em lugares assim, sabendo a procedência. Procuro consumir o orgânico sempre", afirma a educadora Mariana Schahin, à reportagem do Seu Jornal, da TVT.

Maria Alves, agricultora do acampamento no bairro de Perus, na zona noroeste de São Paulo, fala da importância simbólica da produção de alimentos sem agrotóxico. "Eu manejo meu lote. Enquanto a gente está na terra, nós acreditamos num futuro melhor. Pensamos numa saúde melhor, mas também queremos ser exemplo para futuras gerações." O coordenador nacional da rede de armazéns do MST, Ademar Ludwig, diz que essas parcerias são importantes, já que a situação pode piorar para o consumidor, caso o Pacote do Veneno seja aprovado no Congresso Nacional. "Esse projeto quer liberar venenos proibidos em diversos lugares do mundo. É muito perigoso isso, porque atrapalha na formação das crianças, cria doenças", lamenta.

Além da feira da Casa da Cidade, toda terça-feira, das 10h às 13h, a loja do Armazém do Campo em Santa Cecília, passou a receber, desde o dia 14 de agosto, a feirinha de frutas, verduras e legumes do MST.

Obs- Nós, editores deste boletim, parabenizamos o Armazém do Campo por seus dois anos de atividade, comemorados no último dia 31. O espaço, voltado para a comercialização de alimentos provenientes da reforma agrária popular, também é um local de promoção cultural, tendo realizado mais de 150 atividades, entre apresentações musicais, lançamentos de livros, oficinas e peças de teatro.



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS