Documentário ajuda a entender porque é preciso resistir a privatização de sementes


Publicado em 26/02 às 15h

Por Emilly Dulce  Brasil de Fato

As sementes são um bem comum, fontes de diversidade e parte integral da defesa do território, da vida e da autonomia dos povos latino-americanos. É o que diz Naiara Bittencourt, advogada e integrante da Articulação Nacional de Agroecologia e da organização Terra de Direitos. "As sementes são a fonte da diversidade agrícola, da memória dos povos, e possibilitam que nós tenhamos uma soberania e segurança alimentar e nutricional de fato, compondo a agrobiodiversidade nacional e também a soberania desses povos que utilizam as sementes como forma de reprodução cultural e da vida", ressalta.

A luta de povos camponeses para preservar o patrimônio cultural e agrícola das chamadas sementes crioulas é foco do documentário Sementes: Bem Comum ou Propriedade Privada? O filme traz relatos de pessoas de vários países da América Latina e que, apesar de suas diferenças, enfrentam desafios semelhantes.

O agrônomo Gabriel Fernandes, que participou da articulação do documentário, ressalta o movimento por parte de empresas transnacionais de se apropriarem dessas sementes. "No fundo, a gente vê que é exatamente a mesma luta para preservar esse patrimônio genético que a gente entende como um bem das próprias comunidades contra o avanço de grandes empresas que, hoje em dia, são basicamente três grandes multinacionais que controlam uma parte cada vez maior do mercado de sementes, principalmente de sementes transgênicas".

O documentário, que recentemente ganhou legendas em português, narra experiências e lutas de camponeses de oito países: Equador; Brasil; Costa Rica; México; Honduras; Argentina; Colômbia e Guatemala.

O filme também aborda as sementes como protagonistas na resistência à aplicação de agrotóxicos e herbicidas e ao avanço do agronegócio sobre os territórios dos camponeses, povos indígenas e comunidades tradicionais, como lembra Gabriel Fernandes. "Uma vez que os agricultores têm nas suas mãos as sementes e o conhecimento para cuidar desses materiais, essa é uma das principais formas de resistência e enfrentamento ao controle por poucas empresas em relação às sementes".

O documentário foi produzido pelo Coletivo de Sementes da América Latina, formado por instituições de diversos países.

Obs: Tramita no congresso nacional o projeto de lei (PL) 827/2015, de autoria do deputado Dilceu Sperafico (PP-PA). Também chamado de Projeto de Lei de Proteção aos Cultivares, ele propõe a restrição do livre o plantio, armazenamento e distribuição de sementes de cultivares, o que obrigaria os agricultores a pagarem royalties caso realizem algum desses procedimentos, reforçando o atual processo de privatização no setor de sementes. Vamos dizer não a esse PL ruralista. Sementes livres já!



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS