Alimentos orgânicos já são consumidos por 10% dos paulistanos e estão mais acessíveis


Publicado em 27/11 às 14h

Por Benjamin Prizendt  C. P. C. A. P. V.

Uma pesquisa da Organics revela que os brasileiros estão consumindo mais alimentos orgânicos. Em São Paulo o porcentual de consumidores desses alimentos sem veneno atinge cerca de 10% e tende a aumentar graças ao trabalho de uma rede de ativistas e produtores.

Um dos fatores que contribui para esse crescimento é que a alimentação de qualidade ganha cada vez mais apoiadores: ACT (Aliança de Controle do Tabagismo), Greenpeace e Idec (Instituto de defesa do consumidor), somam seus esforços à Campanha PCAPV e seus parceiros tradicionais – MPA, Via Campesina, Fiocruz, ABRASCO, MST, e muitos outros, atingindo a incrível marca de 100 entidades.

Estamos assistindo ao aumento constante das múltiplas possibilidades de adquirir orgânicos, a preços acessíveis, em nossa cidade. São elas: entrega domiciliar (diretamente do produtor para sua casa), frequência semanal às feiras orgânicas, organização de grupos de consumo na modalidade específica de CSA (comunidade que sustenta a agricultura), entrepostos (quitandas orgânicas dos mais variados tamanhos) espalhados pela cidade.

Destacamos, entre esses últimos, o Armazém dos Orgânicos e o Instituto Chão no bairro de Pinheiros. E, brevemente, o Instituto FeiraLivre em pleno centro da cidade (nas imediações da Praça da República), como em destaque na seção Já Mudou!

Cumpre destacar que os Instituto Chão e FeiraLivre, seu discípulo em fase de organização, praticam a política de comércio justo. Através dela praticam a correta e justa remuneração de seus fornecedores e convidam seus clientes a se tornarem co-responsáveis por manterem a viabilidade econômica desses Institutos. Isso se dá pela solicitação de uma contribuição voluntária de cerca de 30%, que são adicionados aos preços de custo dos alimentos.

Multiplicam-se, também, nos diversos bairros de São Paulo, hortas comunitárias com trabalho de grupos de voluntários. Você pode consultar todos esses locais no mapa do MUDA-SP (Movimento Urbano de Agroecologia). Ainda, em plena Ceagesp, o box de frutas orgânicas (Terra Frutas) amplia suas atividades de forma a cobrir, também, a venda no varejo aos sábados.

Diante de tudo isso, ficamos convencidos de que aumenta, mais e mais, o grau de consciência da população sobre a importância de uma alimentação saudável e livre de agrotóxicos. Desnecessário dizer que não procede comparar orgânicos com convencionais, unicamente em termos de preços, pois estamos lidando com algo de importância primordial: A NOSSA SAÚDE! E que venham mais iniciativas de orgânicos, para torná-los cada vez mais acessíveis a todos nós.



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS