Instituto Feira Livre busca distribuir orgânicos a preço justo no centro de São Paulo


Publicado em 27/11 às 14h

Por equipe Instituto Feira Livre

No centro da maior metrópole do país que mais consome agrotóxicos no mundo, um grupo de 10 pessoas criou um instituto que vai vender alimentos orgânicos e agroecológicos, indicando o preço do produtor. Com foco na economia solidária e prioridade para produtores familiares, o Instituto Feira Livre realizou uma campanha de financiamento coletivo para com-seguir recursos e pretende abrir suas portas em meados de Novembro. A ideia é simples: informar todos os custos envolvidos na relação comercial e, ao final da compra, sugerir uma contribuição para que os custos operacionais do Instituto sejam cobertos.
         Segundo dados da Anvisa, o Brasil continua sendo o país que mais consome agrotóxicos no mundo. A cadeia produtiva desses alimentos com veneno, que começa no campo e não termina no consumidor, além de colocar em risco a vida de quem os consome, aumenta a incidência de uma série de doenças em quem trabalha na produção. Está também majori-tariamente atrelada à concentração de terra em latifúndios de monocultura, além da explo-ração máxima do trabalho - não raro com denúncias de trabalho escravo – e aumento da opacidade das informações, que chegam ao consumidor, sobre agrotóxicos utilizados.
         As redes de supermercado também colaboram para uma cadeia de consumo menos transparente. Segundo dados do Instituto de Defesa do Consumidor, produtos orgânicos chegam às gôndolas com valores até 400% mais caros do que foi pago ao produtor. Mesmo os produtores que deixam de utilizar agrotóxicos ficam reféns de uma rede de distribuição, que quer fazer de produtos orgânicos itens de luxo, aumentando o abismo social entre aqueles que se alimentam bem e aqueles que dispõem de pouco dinheiro para o orçamento doméstico.
        Na contramão dessas lógicas de exploração, os membros do Instituto Feira Livre se reuniram, há mais de um ano, para fazer estudos de viabilidade de distribuição de orgânicos em outros formatos. Na região central de São Paulo foi identificada uma demanda latente, onde será possível experimentar o formato já estabelecido com sucesso pelo Instituto Chão na Vila Madalena: custo do produtor + contribuição sugerida pela loja = preço justo.
        O novo espaço ficará na Rua Major Sertório, número 229, num galpão, onde uma área de mais de 200m2 abrigará uma feira de hortifrutis, uma mercearia e um café. Todos os produtos ofertados no local serão orgânicos ou agroecológicos, com prioridade para produtos originários de agricultura familiar. O preço de custo do produtor é exposto e os consumidores se tornam responsáveis por contribuir com as despesas operacionais de suas compras.
        Perto do Copan, da Escola da Cidade, do Teatro da Aliança Francesa, da Praça Roosevelt, da Casa do Porco, Bar da Dona Onça, Praça Rotary e do Minhocão, o Instituto Feira Livre estará bem próximo do coração da cidade de São Paulo. Conheça essa importante iniciativa e entre nesse circuito solidário e ecológico rumo a uma sociedade em harmonia!

Para mais detalhes do Instituto Feira Livre, acesse também:
http://institutofeiralivre.org/

Para assessoria de imprensa: Fabrício Muriana - (11) 97605-6457/ Marcela Baena - (11) 98194-2250/ Rene Lima - (11) 98482-8927



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS