Ambientes alimentares saudáveis para garantir uma alimentação adequada


Publicado em 23/10 às 13h

Por Mariana Garcia – Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

Todos sabemos da importância da adoção de hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis, mas, infelizmente, essa ainda não é a opção mais fácil para a maioria das pessoas. Além da dificuldade econômica, barreiras físicas atrapalham a jornada de quem deseja comer bem.

Vivemos em ambientes que geralmente não são favoráveis às melhores escolhas alimentares, como as escolas, as cidades, os ambientes de trabalho, os espaços públicos, etc. Os alimentos menos saudáveis, como os ultraprocessados são, muitas vezes, mais baratos, acessíveis e disponíveis do que os alimentos in natura e minimamente processados, além de contarem com grandes investimentos em publicidade para sua promoção.

Entendemos que pressionar a indústria e o governo a adotar políticas que induzam mudanças no mercado é fundamental para que este cenário mude. Defendemos, por exemplo, informação nutricional mais clara e simples nos rótulos dos produtos.  Os rótulos não revelam claramente para o consumidor os níveis de açúcar, gordura e sódio, por exemplo. Além disso, alegações publicitárias, como “100% natural”, “integral”, “rico em vitaminas e minerais”, confundem ainda mais o consumidor e o levam a uma interpretação equivocada das características dos produtos. 

Melhorar a regulamentação da publicidade de alimentos, principalmente para crianças, também é foco do nosso trabalho. Hoje, temos a presença de personagens, distribuição de brindes com produtos, propaganda na TV durante a programação infantil, e diversas outras práticas que acabam influenciando muito o desejo das crianças pelos alimentos ultraprocessados, como salgadinhos, biscoitos, achocolatados, entre outros.

Esses dois exemplos revelam como nossas escolhas são influenciadas pelo ambiente no qual estamos inseridos, fortemente manipulado pelas práticas das indústrias de produtos ultraprocessados. Políticas públicas capazes de equilibrar essa relação entre os consumidores e as empresas são fundamentais, para que os consumidores possam exercer seu direito à informação e a escolhas mais conscientes.

Hoje, o Idec conta com diversas ações neste sentido e, por isso, convidamos todos a conhecer mais sobre o trabalho do programa de alimentação e juntar-se a nós nessa luta!

 



ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS