Vitamina C pode reduzir o risco de mortalidade


Vitamina C pode reduzir o risco de mortalidade

Publicado em 30/11/2018 às 15:13



A vitamina C é um nutriente importante para nosso organismo, especialmente por exercer potente efeito antioxidante e imunomodulador, reduzindo o risco de diversas doenças. Com isso, alguns estudos têm mostrado que o consumo de fontes de vitamina C pode reduzir taxas de mortalidade por algumas doenças1,2.Um estudo prospectivo realizado com a população chinesa, que incluiu 948 indivíduos, indicou que a alta concentração de vitamina C esteve associada à redução de mortalidade por doenças cardiovasculares e câncer3.

Em outro estudo populacional, realizado com 13421 participantes, mostrou que o consumo de fontes de vitamina C que apresentavam fibras em sua composição foi inversamente associado à mortalidade por doenças cardiovasculares. Este estudo reforça a importância da sinergia entre os nutrientes, que deve ser aproveitada pelo consumo de fontes – como frutas, verduras e legumes4.

Para contribuir com estes resultados, uma recente revisão sistemática meta-analítica, realizada com 41 estudos observacionais, mostrou que a aderência a uma dieta rica em compostos bioativos e nutrientes antioxidantes – incluindo a vitamina C – pode reduzir o risco de mortalidade por diversas doenças. Vale ressaltar que o estudo também envolveu outros compostos antioxidantes durante a análise e, portanto, não podemos atribuir este interessante efeito à vitamina C isoladamente. Também é importante considerar que estes estudos são observacionais e não indicam causalidade5.

No envelhecimento, a vitamina C também é importante por reduzir o encurtamento de telômeros e danos no nosso material genético – condições atreladas à perda da função celular e consequente senescência celular. Para enfatizar este efeito, um estudo realizado em modelo celular mostrou que a administração de vitamina C reduziu a expressão gênica de fatores envolvidos em danos no DNA, podendo ser uma interessante estratégia para reduzir o risco de doenças associadas ao envelhecimento6.

De forma fácil, a vitamina C pode ser encontrada em diversas frutas - como acerola, laranja, kiwi, goiaba e camu-camu. Entretanto, é importante considerar que estes benefícios são potencializados com a alimentação saudável, que visa o adequado aporte de todos os nutrientes.

Referências Bibliográficas:

1-OLAJIDE, O.J.; YAWSON, E.O.; GBADAMOSI, I.T. et al. Ascorbic acid ameliorates behavioural deficits and neuropathologial alterations in rat model of Alzheimer´s disease. Environ Toxicol Pharmacol; 50:200-211,2017.

2-SIL, S.; GHOSH, T.; GUPTA, P. et al. Dual role of vitamin C on the neuroinflammation mediated neurodegeneration and memory impairments in Colchicine induced rat model of Alzheimer Disease. J Mol Neurosci; 60(4):421-435,2016.

3-WANG, S.M.; FAN, J.H.; TAYLOR, P.R. et al. Association of plasma vitamin C concentration to total and cause-specific mortality: a 16-year prospective study in China. J Epidemiol Community Health; 2018. doi: 10.1136/jech-2018-210809.

4-MARTÍN-CALVO, N.; MARTÍNEZ-GONZÁLEZ, M.A. Vitamin C intake is inversely associated with cardiovascular mortality in a Cohort of Spanish graduates: the SUN Project. Nutrients; 29(9):E954, 2017.

5-JAYEDI, A.; RASHIDY-POUR, A.; PAROHAN, M. et al. Dietary antioxidants, circulating antioxidante concentrations, total antioxidante capacity, and risk of all- cause mortality: a systematic review and dose-response meta-analysis of prospective observational studies. Adv Nutr; 2018. doi: 10.1093/advances/nmy040

6-LI, Y.; ZHANG, W.; CHANG, L. et al. Vitamin C alleviates aging defects in a stem cell model for Werner Syndrome. Protein Cell; 7(7):478-88,2016.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS