Metais tóxicos no solo e impactos na nossa alimentação


Metais tóxicos no solo e impactos na nossa alimentação

Publicado em 10/04/2018 às 09:42



Atualmente, há grande preocupação com a presença de altas concentrações de metais tóxicos à saúde em meios de cultivo agrícola – como o solo – uma vez que este fator pode prejudicar a segurança e qualidade dos alimentos1-3.

Os impactos desta contaminação são evidentes. Um recente estudo realizado com amostras do solo Paquistão indicou concentrações relevantes de metais tóxicos à saúde – especialmente de chumbo, que apresentou-se elevado em águas de irrigação. Consequentemente, observou-se altas concentrações de chumbo em amostras de nabo e rabanete, que são cultivados no local. Nesta análise, os autores reforçam que esta transferência de metais tóxicos pode ser prejudicial à saúde4

Outro estudo, realizado na Georgia (EUA), mostrou que o aumento na atividade industrial na região esteve associado a contaminações em rios e canais de irrigação, prejudicando a qualidade do solo, com altas concentrações de Arsênio, Cadmio e chumbo5.

Na china, também foi verificada contaminação por metais tóxicos em solos próximos a áreas de minas, bem como de alimentos produzidos no local, constatando um possível risco aos residentes locais e consumidores dos alimentos produzidos na área6.

Esta situação é alarmante, justificada pelos efeitos destes metais tóxicos à saúde – como aumento no risco de doenças neurodegenerativas, alterações no sistema reprodutor, problemas endócrinos, síndrome metabólica e alguns tipos de câncer7.

Portanto, o controle de poluentes ambientais é necessário, visando mais saúde à população. Uma ação para amenizar este problema é buscar, cada vez mais, opções orgânicas – dado que pesticidas utilizados na agricultura convencional contaminam nosso meio ambiente com uma série de compostos maléficos à saúde.

Referências Bibliográficas:

1-JI, Y.; WU, P.; ZHANG, J. et al. Heavy metal accumulation, risk assessment and integrated biomarker responses of local vegetables: a case study along the Le´an river. Chemosphere; 199:361-371, 2018.

2-LEE, S.W.; CHO, H.G.; KIM, S.O. Comparisons of human risk assessment models for heavy metal contamination with an abandoned metal mine area in Korea. Environ Geochem Health; 2018. doi: 10.1007/s10653-018-0108-x. 

3-YANG, J.; MA, S.; ZHOU, J. et al. Heavy metal contamination in soils and vegetables and health risk assessment of inhabitants in Daye, China. J Int Med Res; 2018.  doi: 10.1177/0300060518758585.

4-AHMAD, K.; ASHFAG, A.; KHAN, Z.I. et al. Metal accumulation in Raphanus sativus and Brassica rapa: an assessment of potential health risk for inhabitants in Punjab, Pakistan. Environ Sci Pollut Res Int; 2018. doi: 10.1007/s11356-018-1868-7

5-WITHANACHCHI, S.S.; GHAMBASHDZE, G.; KUNCHULIA, L. et al. Water quality in surfasse water: a preliminar assessment of heavy metal contaminantion of the Mashavera River, Georgia. Int J Environ Res Public Health; 15(4):E621, 2018.

6-YANG, J.; MA, S.; ZHOU, J. et al. Heavy metal contamination in soils and vegetables and health risk assessment of inhabitants in Daye, China. J Int Med Res; 2018. doi: 10.1177/0300060518758585.

7-RZYMSKI, P.; TOMCZYK, K.; RZYMSKI, P. et al. Impacto f heavy metals on the female reproductive system. Ann Agric Environ Med; 22(2):259-64, 2015.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS