Exercício Intenso pode reduzir o envelhecimento celular em 9 anos!


Exercício Intenso pode reduzir o envelhecimento celular em 9 anos!

Publicado em 06/02/2018 às 12:31



O envelhecimento celular é um processo fisiológico que acontece ao longo dos anos, sendo associado com redução da capacidade de funções celulares. Além da evolução da idade, o envelhecimento celular também pode ser acelerado por fatores externos, como a má alimentação e o estresse oxidativo1,2.

Desta forma, diversos pesquisadores buscam alternativas eficientes para reduzir a evolução do envelhecimento celular. Dentre os fatores avaliados, a prática regular de atividade física tem sido relatada como benéfica por favorecer o alongamento dos telômeros, que tendem ao encurtamento conforme as divisões celulares ocorrem durante a senescência celular3.

Esta correlação foi observada em um estudo conduzido por 5823 adultos incluídos no NHANES 1999-2002 (National Health and Nutrition Examination Survey). Após análises do nível de atividade física e comprimento do telômero de leucócitos, os autores verificaram que participantes que gastavam mais energia com exercício tiveram menor encurtamento de telômero, em relação aos indivíduos sedentários. Através desta comparação, os pesquisadores concluíram que a prática regular de exercício reduz a evolução do envelhecimento em até 9 anos. Entretanto, é importante ressaltar que o estudo não faz correlações diretas entre a modalidade esportiva e o benefício no envelhecimento. Assim, é necessário levar em consideração a individualidade de cada tipo de exercício - bem como sua duração e intensidade - para melhores análises4

Além desta importante atuação, a prática regular de atividade física pode promover modificações em micro-RNAs que geram proteção do tecido muscular, e em organelas específicas para o suporte energético durante os movimentos contráteis – como as mitocôndrias, que tem sua biogênese aumentada com o objetivo que otimizar o metabolismo celular5,6.

Em associação à prática de atividade física, também é imprescindível levar em consideração o papel dos nutrientes e fitoquímicos no retardo do envelhecimento. Neste critério, o consumo de frutas arroxeadas – como as uvas -, brássicas e oleaginosas pode ser uma interessante estratégia para retardar o envelhecimento, pelo fornecimento respectivo de resveratrol, sulforafanos e vitamina E- compostos que protegem nosso material genético e favorecem a saúde mitocondrial7,8.

Portanto, a associação da atividade física com o consumo de alimentos ricos em fitoquímicos pode melhorar nossa saúde celular, promovendo maior efetividade em suas reações que, por consequência, reduzem o envelhecimento celular.

Referências Bibliográficas:

1-KIRKLAND, J.L.; TCHKONIA, T. Cellular senescence: a translational perspective. EBiomedicine; 21:21-28,2017.

2-FREITAS-SIMOES, T.M.; ROS, E.; SALA-VILA, A. Nutrients, foods, dietary patterns and telomere length: update of epidemiological studies and randomized trials. Metabolism; 65(4):406-15,2016.

3-CHILTON, W.; O´BRIEN, B.; CHARCHAR, F. Telomeres, aging and exercise: guilty by association? Int J Mol Sci; 18(12): E2573,2017.

4-TUCKER, L.A. Physical activity and telomere length in U.S. men and women: An NHANES investigation. Prev Med; 145-151,2017.

5-ZHANG, S.; CHEN, N. Regulatory role of MicroRNAs in muscle atrophy during exercise intervention. Int J Mol Sci; 19(2):E405,2018.

6-CARTEE, G.D.; HEPPLE, R.T.; BAMMAN, M.M. et al. Exercise promotes healthy aging of skeletal muscle. Cell Metab; 23(6):1034-1047,2016.

7- MOCCHEGIANI, E.; COSTARELLI, L.; GIACCONI, R. et al. Vitamin E-gene interactions in aging and inflammatory age-related diseases: implications for treatment: A systematic review. Ageing Res Rev; 14:81-101,2014.

8- RAFIE, N.; HAMEDANI, S.G.; BARAK, F. et al. Dietary patterns, food groups and telomere length: a systematic review of current studies. European Journal of Cinical Nutrition; 2016.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS