Tomate: um aliado em mais um tipo de câncer!


Tomate: um aliado em mais um tipo de câncer!

Publicado em 09/01/2018 às 11:54



O câncer de estômago é um dos cânceres mais comuns e que mais levam ao óbito, com uma taxa de sobrevivência de 20 a 30%. Dessa forma, as pesquisas têm buscado avaliar como melhorar a sobrevivência desses pacientes, também prevenir a ocorrência desse tipo de câncer.

Fonte: Adaptado de: Dreanic et al. (2015); Murphy et al. (2015); Mclean; El-omar (2014)

Além do seu papel preventivo, uma dieta saudável também é essencial devido aos efeitos da doença no estado nutricional do paciente, causado pela disfunção no processo de digestão. Assim, o cuidado nutricional deve ser otimizado, não só para reduzir os riscos do câncer como também amenizar os efeitos da terapia de suporte na doença estabelecida (DREANIC et al., 2015; MURPHY et al., 2015).

Partindo do preceito que uma alimentação saudável ajuda na prevenção e melhora de sintomas da doença, o tomate vem sendo estudado como um aliado na dieta. Esse fruto possui um alto teor de compostos antioxidantes, como o licopeno, o  β-caroteno, a luteína e zeaxantina, que, em conjunto, são responsáveis pelas diferentes tonalidades de tomate. É um dos alimentos mais consumidos pela população e está na base da dieta mediterrânea (RAY et al., 2011). A maioria das publicações sobre o tomate são focadas no papel protetor em relação ao câncer de próstata, isso porque é a maior fonte de licopeno, um carotenoide antioxidante com potenciais propriedades anticancerígenas que incluem inibição, indução de apoptose e supressão da diferenciação de células tumorais. Além disso, o licopeno pode suprimir a neoangiogênese no tumor por regular o fator de crescimento vascular endotelial (ZU et al., 2014).

Contudo, um estudo realizado na Itália e publicado no Journal of Cellular Physiology, mostrou que os efeitos anticâncer do tomate não são atribuídos apenas ao licopeno. Os pesquisadores avaliaram a capacidade antitumoral e antioxidante de dois extratos de tomate das variedades de San Marzano e Corbarino, típicas do país. A escolha pelo extrato se deu pela semelhança à forma de consumo humano. Por não terem avaliado o licopeno unicamente e, sim, o extrato de tomate integral, ressaltaram o valor do fruto em sua integralidade, com todos os seus compostos agindo sinergia, e não isoladamente.

                           

                            Fonte: Adaptado de: Barone et al. (2017)

Os resultados ainda são preliminares (in vitro), mas apontam para um potencial efeito protetor do tomate contra o câncer gástrico. Além disso, os tomates em sua forma in natura, comparados a suplementos de ativos isolados, são relativamente baratos, acessíveis e fáceis de serem adicionados na dieta habitual, podendo, dentro de uma dieta saudável e equilibrada, serem aliados na prevenção e na estratégia de apoio junto a terapias convencionais (BARONE et al., 2017).

De modo geral é importante manter uma alimentação adequada, rica em frutas e vegetais, não só como forma de prevenção, mas também como suporte ao tratamento médico (GUNASEKARAN et al., 2016). É importante que haja variedade alimentar respeitando a individualidade bioquímica de cada indivíduo, pois um alimento isoladamente não é capaz de recuperar ou promover o estado de saúde, sendo necessária a sinergia entre os nutrientes provenientes de vários alimentos para atingirmos resultados positivos na nossa saúde.

Referências bibliográficas:

BARONE, D. et al. Antitumoral potential, antioxidant activity and carotenoid content of two Southern Italy tomato cultivars extracts: San Marzano and Corbarino. J CellPhysiol, 2017.

CHEN, P. et al. Lycopene and Risk of Prostate Cancer. Medicine; 94(33), 2015.

DREANIC, J. et al. Gastric Carcinoma at the Era of Targeted Therapies. Curr Drug Targets; 17(15):1818-1826, 2015.

GUNASEKARAN, S.S. et al. Regression of Hepatocellular Carcinoma Lung Metastases after Guyabano Fruit Extract Consumption. J Diet Suppl; 13(3):237-44, 2016.

MCLEAN, M.H; EL-OMAR, E.M. Genetics of gastric câncer. Nat Rev Gastroenterol Hepatol; 11(11):664-74, 2014.

MURPHY, J.D. et al. Increased risk of additional cancers among patients with gastrointestinal stromal tumors: A population-based study. Cancer; 121(17):2960-2967, 2015.

RAY, R.C. et al. Anti-oxidant properties and other functional attributes of tomato: an overview. Int J Food Ferment Technol;1:139–148, 2011.

ZU, K. et al. Dietary lycopene, angiogenesis, and prostate cancer: a prospective study in the prostate-specific antigen era. J Natl Cancer Inst; 106:1-10, 2014.

 

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS