Açaí e suas correlações com a saúde intestinal


Açaí e suas correlações com a saúde intestinal

Publicado em 05/12/2017 às 09:11



O açaí faz parte de nossa rica biodiversidade, sendo um alimento muito apreciado em todas as regiões do Brasil, em diferentes formas de consumo e de preparações. Além de fazer parte dos hábitos alimentares de muitos brasileiros, o açaí apresenta diversas propriedades nutricionais, que conferem benefícios à saúde1.

A presença de polifenois é uma das características que ganha destaque entre as publicações científicas, especialmente pelas atuações antioxidantes e anti-inflamatórias promovidas pelas antocianinas. Assim, muitos estudos mostram que o consumo de açaí pode reduzir o estresse oxidativo e danos em nosso material genético, contribuindo com a redução do risco de diversas doenças crônicas que são desencadeadas por estes fatores – como os desfechos cardiovasculares, diabetes e doenças neurológicas1-3.

Em nível intestinal, o açaí também confere benefícios. Um recente estudo in vitro, conduzido a partir da simulação da digestão gastrointestinal, observou que a administração de polpa de açaí promoveu alterações na fermentação bacteriana, com o aumento na produção de ácidos graxos de cadeia curta, que exercem importante efeito protetor no intestino. Para justificar este resultado, os autores mostraram que os polifenois do açaí não são completamente degradados no intestino, e permanecem em contato com o cólon, favorecendo a produção destes metabólitos. Ainda, os autores ressaltaram o aumento na população de bactérias probióticas – como as bifidobactérias e lactobacilos –, concomitante à redução da população de bactérias patogênicas4.

Esta importante atuação pode auxiliar na redução do risco de câncer de cólon – uma das doenças crônicas mais prevalentes no mundo. Para avaliar esta correlação, um grupo de pesquisadores conduziu um estudo em modelo animal de tumorgênese na região do colón, e observaram que a administração de açaí promoveu redução de mediadores inflamatórios e imunológicos associados ao desenvolvimento do tumor. Os autores explicam que esta modulação pode ter ocorrido pela mudança na microbiota intestinal5.

Com base nestes resultados, o consumo de açaí pode ser uma interessante estratégia para melhorar a saúde intestinal, quando associado a bons hábitos alimentares.  

Referências Bibliográficas:

1-BRUNSCHWING, C.; LEBA, L.J.; SAOUT, M. et al. Chemical composition and antioxidant activity of Euterpe oleracea Roots and leaflets. Int J Mol Sci; 18(1): E61,2016.

2-GARZÓN, G.A.; NATVÁEZ-CUENCA, C.E.; VINCKEN, J.P. et al. Polyphenolic composition and antioxidant activity of açaí (Euterpe oleracea Mart.) from Colombia. Food Chem; 217:364-72,2017.

3- MACHADO, A.K.; ANDREAZZA, A.C.; SILVA, T.M. et al. Neuroprotective effects of Acaí (Euterpe oleracea Mart.) against rotenone in vitro exposure. Oxid Med Cell Longev.; 2016:8940850,2016.

4-ALGURASHI, R.M.; ALARIFI, S.N.; WALTON, G.E. et al. In vitro approaches to assess the effects of açaí (Euterpe oleracea) digestion on polyphenol availability and the subsequent impact on the faecal microbiota. Food Chem; 234:190-198,2017.

5-CHOI, Y.J.; CHOI, Y.J.; KIM, N. et al. Açaí berries inhibit colon tumorigenesis in azoxymethane/dextran sulfate sodium –treated mice. Gut Liver; 11(2):243-525,2017.

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS