Consumo de vegetais e suas correlações com saúde tireoidiana


Consumo de vegetais e suas correlações com saúde tireoidiana

Publicado em 01/12/2017 às 11:23



Os benefícios de uma alimentação rica em verduras, legumes e frutas são relatados por diversos estudos, sendo justificados pela presença de nutrientes essenciais para o nosso organismo, e compostos bioativos anti-inflamatórios e antioxidantes. Assim, este perfil alimentar pode reduzir o risco de diversos distúrbios, como os que atingem a tireoide e o seu metabolismo1.

Um estudo realizado com 1.887 participantes europeus identificou - a partir de análises de questionário de frequência alimentar - que o consumo frequente de verduras, legumes e frutas esteve associado à redução do risco de tireoidite de Hashimoto – doença autoimune que predispõe à redução de hormônios tireoidianos, contribuindo com os sinais e sintomas do hipotireoidismo. Este resultado pode ser explicado pela presença de compostos bioativos, que diminuem mediadores inflamatórios que elevam os níveis de anticorpos específicos2.

Por outro lado, o consumo de determinados vegetais ainda é controverso, no que se refere à saúde da tireoide. Alguns estudos pontuam que as brássicas – como brócolis, couve-flor e repolho – apresentam substâncias consideradas como boceogênicas, por interferirem na produção de hormônios tireoidianos. Entretanto, um recente estudo mostrou que para ter este efeito seria necessário consumir quantidades excessivas de brássicas, correspondente a mais de 1kg ao dia, por muitos meses3.

Ainda, é importante ressaltar que estas correlações são mais relevantes quando há predisposição para o desenvolvimento do hipotireoidismo clínico – como o diagnóstico de hipotireoidismo subclínico – e deficiência de iodo4.

Desta forma, o consumo adequado de vegetais deve ser considerado nas alterações tireoidianas, sendo imprescindível avaliação dos riscos, sinais e sintomas para determinação da conduta mais segura e eficiente. Portanto, este equilíbrio deve ser avaliado de forma individual, levando em consideração diversos aspectos bioquímicos, que norteam o sucesso de nossas intervenções nutricionais.

Referências Bibliográficas:

1-ZAMORA-ROS, R.; BÉRAUD, V.; FRANCESCHI, S. et al. Consumption of fruits, vegetables and fruit juices and differentiated thyroid carcinoma risk in the european prospective investigation into cancer and nutrition (EPIC) study. Int J Cancer; 2017. doi: 10.1002/ijc.30880

2-MATANA, A.; TARLAK, V.; BRDAR, D. et al. Dietary factors associated with plasma thyroid peroxidase and thyroglobulin antibodies. Nutrients; 9(11): E1186,2017.

3-FELKER, P. BUNCH, R.; LEUNG, A.M. Concentrations of thiocyanate and goitrin in human plasma, their precursor concentrations in brassica vegetables, and associated potential risk for hypothyroidism. Nutr Rev; 74(4):248-58,2016.

4-CHO, Y.A.; KIM, J. Dietary factors affecting thyroid cancer risk: a meta-analysis. Nutr Cancer; 67(5):811-7,2015.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS