Desvendando a Nutrição Funcional


Desvendando a Nutrição Funcional

Publicado em 27/09/2016 às 09:58



A ciência da nutrição estuda os alimentos e seus componentes (vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos, gorduras, fibras e fitoquímicos), bem como seu metabolismo e efeitos ao organismo. Dessa forma, um dos principais objetivos da nutrição é dar suporte nutricional ao organismo por meio da alimentação, mantendo o equilíbrio das funções de nossos órgãos e células, reduzindo os riscos de várias doenças e garantindo saúde integral.

A Nutrição Funcional é uma área de conhecimento da ciência da Nutrição que estuda a relação entre os vários sistemas do organismo, considerando a genética, fisiologia, bioquímica (incluindo a individualidade bioquímica) e a interferência de fatores ambientais, emocionais, mentais e espirituais. Assim, a nutrição funcional consegue avaliar cada paciente de maneira única, permitindo a prescrição de orientações nutricionais personalizadas, com o objetivo de promover saúde como vitalidade positiva.

Para entender melhor, conheça os 5 princípios da nutrição funcional:

1.Individualidade bioquímica: cada ser humano é único, então o tratamento nutricional deve ser individualizado, considerando as características pessoais, genéticas e bioquímicas de cada indivíduo.

2.Tratamento centrado no paciente: o paciente é um organismo vivo complexo que interage com o meio ambiente, com seu histórico pessoal e familiar, seu próprio estilo de vida que inclui particularidades socioeconômicas, emocionais, culturais e alimentares. Todos estes fatores impactam sobre a interação entre seus diversos sistemas orgânicos, determinando sua qualidade de vida. Portanto, o tratamento nutricional funcional é centrado no paciente, e não simplesmente na presença de doenças.   

3.Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: neste ponto, são consideradas as necessidades nutricionais (de vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e gorduras) do indivíduo, avaliando o equilíbrio da dieta e a biodisponibilidade dos nutrientes, que é o quanto conseguimos efetivamente absorver e utilizar dos nutrientes que ingerimos por meio da alimentação.       

4.Saúde como vitalidade positivapara a Organização Mundial da Saúde (OMS), ter saúde é muito mais do que simplesmente não ter nenhuma doença: é o perfeito estado de bem-estar físico, mental e social. Então, para alcançar a saúde de forma plena, ou seja, com vitalidade positiva, devemos equilibrar de maneira positiva o organismo e suas funções.

5.Teia de interconexões metabólicas: para avaliar o indivíduo de maneira completa e individualizada, a nutrição funcional utiliza uma ferramenta prática e inovadora: a teia de interconexões metabólicas, que permite identificar pontos positivos e negativos (e a inter-relação entre eles) do paciente para direcionar a melhor conduta nutricional para suas queixas e necessidades.

Aprenda mais sobre os conceitos da Nutrição Funcional no vídeo abaixo.

 

Estes conceitos nos permitem entender a imensidão desse mundo que é a nutrição funcional que estuda o alimento e o indivíduo como um todo. Conhecendo mais sobre essa área deixamos nossa alimentação mais equilibrada e nosso organismo responde de forma mais positiva.

A avaliação completa do paciente, tendo como base os princípios da nutrição funcional e a aplicação da teia das inter-relações metabólicas, resulta em um plano alimentar personalizado, resgatando hábitos saudáveis com alimentos ricos em nutrientes e compostos ativos que são essenciais para o funcionamento e equilíbrio das funções do organismo, proporcionando a saúde como vitalidade positiva.

Referências bibliográficas

BLAND, J.S.; LISKA, D.; LUKACZER, D. et al. Clinical nutrition: a functional approach. 2nd ed. Gig Harbor, WA: The Institute for Functional Medicine, 2004.

JONES, D.S. Textbook of Functional Medicine. Gig Harbor, WA: The Institute for Functional Medicine, 2006.

STONE, J.; WOJCIK, W.; DURRANCE, D. et al. What should we say to patients with symptoms unexplained by disease? The “number needed to offend”. BMJ. 2002; 325(7378):1449-50.

INSTITUTE FOR FUNCTIONAL MEDICINE (IFM). The Functional Medicine Matrix in Practice. 2016. Disponível em: . Acesso em: 26/01/2016

PASCHOAL, V.; NAVES, A.; DA FONSECA, A.B.B.L. Nutrição clínica funcional: dos princípios à prática clínica. São Paulo: VP Editora, 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Constitution of WHO. WHO, 1946. Disponível em: http://www.who.int/about/mission/en. Acesso em: 01/02/2016.

GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de fisiologia médica. 12. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.