Consumo de refrigerantes com refeições ricas em proteínas


Consumo de refrigerantes com refeições ricas em proteínas

Publicado em 04/08/2017 às 11:59



O consumo de bebidas açucaradas tem aumentado de forma expressiva, especialmente em países ocidentais. Este perfil é correlacionado com o aumento do risco de diversas doenças crônicas – como diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e problemas neurodegenerativos – principalmente pela alta densidade energética, teor de açúcar e presença de diversos aditivos alimentares que aumentam a inflamação sistêmica1,2.

Neste sentido, uma meta-análise publicada por pesquisadores da Universidade de Harvard evidenciou que o consumo diário de uma ou duas porções de refrigerantes eleva o risco de diabetes tipo 2, ataques cardíacos e acidente vascular encefálico3.

Este consumo pode ser mais prejudicial quando associado a refeições ricas em proteínas. Um recente estudo realizado com 27 sujeitos mostrou que esta combinação reduz, de forma significativa, a percepção do apetite e oxidação de gorduras, aumentando o consumo calórico e o risco para ganho de peso4.

Ainda, uma análise que incluiu dados de 4969 indivíduos indicou que o consumo de alimentos adoçados – como as bebidas açucaradas – associado a refeições ricas em gorduras saturadas, pode aumentar sintomas depressivos.  Este resultado foi justificado pelo possível aumento da inflamação e estresse oxidativo, que interferem nas atividades cerebrais5.

Frequentemente, os refrigerantes acompanham refeições ricas em proteínas e gorduras, sendo este hábito considerado como um potente gatilho para doenças crônicas. Portanto, é importante excluir essas bebidas da alimentação com o objetivo de reduzir o risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis.

Referências Bibliográficas:

1-KELISHADI, R.; MANSOURIAN, M.; HEIDARI-BENI, M. Association of fructose consumption and components of metabolic syndrome in human studies: a systematic review and meta-analysis. Nutrition; 30(5):503-10, 2014.

2-STANHOPE, K.L.; MEDICI, V.; BREMER, A.A. et al. A dose-response study of consuming high-fructose corn syrup-sweetened beverages on lipid/lipoprotein risk factors for cardiovascular disease in Young adults. Am J Clin Nutr; 101(6):1144-54, 2015.

3-MALIK, V.S.; HU, F.B. Fructose and cardiometabolic health: what the evidence from sugar-sweetened beverages tells us. J Am Coll Cardiol; 66:1615-1624, 2015.

4-CASPERSON, S.L.; HALL, C.; ROEMMICH, J.N. Postprandial energy metabolism and substrate oxidation in response to the inclusion of a sugar – or non- nutritive sweetened beverage with meals differing in protein content. BMC Nutrition; 2017. https://doi.org/10.1186/s40795-017-0170-2.

5-VERMEULEN, E.; STRONKS, K.; SNIJDER, M.B. et al. A combined high-sugar and high-saturated-fat dietary pattern is associated with more depressive symptoms in a multi-ethnic population: The Helius (Healthy life in a urban setting) study. Public Health Nutr; 20:1-9,2017.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS