Atuação das vitaminas do complexo B em parâmetros de cognição


Atuação das vitaminas do complexo B em parâmetros de cognição

Publicado em 25/07/2017 às 09:58



O declínio da função cognitiva é responsável por algumas incapacidades que prejudicam a qualidade de vida da população. Dentre os gatilhos, o aumento nos níveis de homocisteína tem ganhado destaque na literatura científica, por predispor atrofia cerebral e aumento de parâmetros inflamatórios no sistema nervoso central1.

Desta forma, alguns estudos mostram que a redução dos níveis de homocisteína pode diminuir o risco destes problemas que afetam a capacidade cognitiva. Neste critério, o adequado aporte de vitaminas do complexo B é sugerido, uma vez que atuam em reações de metilação e sulforação, que favorecem o ciclo da homocisteína2,3.

Um estudo realizado com 112 idosos chineses mostrou correlação positiva entre deficiência de vitaminas do complexo B – especificamente de cobalamina e ácido fólico – e aumento nos níveis de homocisteína. Ainda, estes dados foram associados ao aumento da prevalência de doença de Alzheimer4.

Outra análise clínica, realizada com 168 participantes idosos diagnosticados com problemas cognitivos, mostrou que a administração de piridoxina, ácido fólico e cobalamina promoveu redução nos níveis de homocisteína, podendo ser uma estratégia para a redução do risco de atrofia cerebral5.

Ainda, uma meta análise, realizada com 77 estudos que verificaram a eficiência das vitaminas do complexo B em parâmetros cognitivos, enfatizou que os efeitos benéficos são potencializados quando há sinergia entre as vitaminas deste grupo - principalmente entre piridoxina, cobalamina e ácido fólico, que são cofatores diretos das reações do ciclo da homocisteína6.

Por estas evidências, a elevação nos níveis de homocisteína pode ser amenizada com o adequado aporte de vitaminas do complexo B, reduzindo o risco de problemas que afetam o sistema nervoso central. As vitaminas do complexo B podem ser encontradas em vegetais verdes, frutas, oleaginosas, leguminosas e cereais, que devem compor nossas refeições diárias.      

Referências Bibliográficas:

1-PORTER, K.; HOEY, L.; HUGHES, C.F. et al. Causes, consequences and public health implications of low B-vitamin status in ageing. Nutrients; 8(11): E725,2016.

2-MIKKELSEN, K.; STOJANOVSKA, L.; TANGALAKIS, K. et al. Cognitive decline: a vitamin B perspective. Maturitas; 93:108-113,2016.

3-SETIÉN-SUERO, E.; SUÁREZ-PANILLA, M.; SUÁREZ-PINILLA, P. et al. Homocysteine and cognition: a systematic review of 111 studies. Neurosci Biobehav Rev; 69:280-98,2016.

4-MA, F.; WU, T.; ZHAO, J. et al. Plasma homocysteine and serum folate and vitamin B12 levels in Mild Cognitive impairment and Alzheimer´s disease: a case-control study. Nutrients; 9(7):E725,2017.

5-SMITH, A.D.; SMITH, S.M.; JAGER, C.A. et al. Homocysteine-lowering by B vitamins slows the rate of accelerated brain atrophy in mild cognitive impairment: a randomized controlled trial. PLoS One; 5(9):e12244,2010.

6-ZHANG, D.M.; YE, J.X.; MU, J.S. et al. Efficacy of vitamin B supplementation on cognition in elderly patients with cognitive-related diseases. J Geriatr Psychiatry Neurol; 30(1):50-59,2017.