Canela: uma especiaria funcional


Canela: uma especiaria funcional

Publicado em 12/07/2017 às 14:14



As especiarias são tradicionalmente utilizadas para agregar sabor ou aroma aos alimentos e bebidas. A canela é uma das mais conhecidas e utilizadas, sendo reconhecida por possuir diversas propriedades benéficas à saúde, dentre elas a atividade antimicrobiana, antioxidante, anti-inflamatória e sobre o controle glicêmico.

O óleo essencial extraído da canela tem potencial antimicrobiano significativo, já que se mostra efetivo na inibição do crescimento bacteriano, fato que pode estar relacionado com a presença do cinamaldeído em elevada concentração (77,72%). Ele, por exemplo, é efetivo contra o crescimento da Escherichia coli e, consequentemente, há redução da produção de toxinas no organismo. Atualmente, os estudos demonstram a possibilidade de utilizar a canela na conservação de alimentos por possuir tal propriedade. A canela contém ainda, derivados de ácido cinâmico, cinamato e numerosos outros componentes, tais como polifenóis, antimicrobianos e pode produzir efeitos anticancerígenos. Vários relatos abordaram as numerosas propriedades da canela nas formas de casca, óleos essenciais, casca em pó e compostos fenólicos, e cada uma dessas propriedades pode desempenhar um papel fundamental na saúde humana.

Os compostos polifenóis e o cromo estão presentes na canela e são considerados como possíveis responsáveis por seus efeitos em melhorar a sensibilidade à insulina e o controle gilcêmico. Outros benefícios dos polifenóis, observados nos estudos in vitro, são sua ação antioxidante e a potencialização da ação da insulina, podendo ser benéfica no controle de intolerância à glicose e diabetes. Esses resultados também foram encontrados em mulheres com resistência à insulina associada à Síndrome do Ovário Policístico.

Adicionalmente, estudos mostraram que pacientes com Síndrome Metabólica, que consumiram extrato de canela, apresentaram melhora na glicemia de jejum e na pressão arterial sistólica: o consumo de 500mg/dia do extrato de canela, durante 12 semanas, pode levar a melhorias significativas em vários aspectos dessa síndrome. Embora limitado, há evidências que sugerem um papel potencial para a canela como uma influência positiva sobre várias características da Síndrome Metabólica.

Outro estudo demonstrou que a canela, adicionada a uma dieta por 40 dias nas doses 1, 3 e 6g, reduziu a glicose, os triglicerídeos, o colesterol LDL e o colesterol total em indivíduos com Diabetes Melitus tipo 2. Verificou-se também que, mesmo após 20 dias sem o consumo dessa especiaria, os efeitos benéficos permaneceram, indicando que não é necessário que a especiaria seja consumida todos os dias.

É interessante ficar atento à canela em pó e comprar marcas confiáveis, pois o produto pode ser uma mistura que não contém somente a canela. Ao observar todos os benefícios que a canela pode trazer à saúde, associado ao seu sabor e aroma agradável, é interessante introduzi-la na alimentação. Ela pode ser consumida na forma de chá, aromatizante de bebidas ou salpicá-la em cima de frutas.

Referências Bibliográficas:

ANDRADE, M.A.; CARDOSO, M.G.; BATISTA, L.R. et al. Óleos essenciais de Cymbopogon nardus, Cinnamomum zeylanicume Zingiber officinale: composição, atividades antioxidante e Antibacteriana. Revista Ciência Agronômica; 43(2): 399-408, 2012.

HLEBOWICZ, J.; DARWICHE, G.; BJÖRGELL, O. et al. Effect of cinnamon on postprandial blood glucose, gastric emptying, and satiety in healthy subjects. Am J Clin Nutr.; 85: 1552– 1556, 2007.

KHAN, A.; SAFADAR, M.; KHAN, M.M.A. et al. Cinnamon Improves Glucose and Lipids of People With Type 2 Diabetes. Diabetes Care; 26: 3215–3218, 2003.

QIN, B.; PANICKAR, K.S.; ANDERSON, R.A. Cinnamon: Potential Role in the Prevention of Insulin Resistance, Metabolic Syndrome, and Type 2 Diabetes. J Diabetes Sci Technol; 4: 685-693, 2010.

SUN, P. et al. Trimer procyanidin oligomers contribute to the protective effects of cinnamon extracts on pancreatic β-cells in vitro. Acta Pharmacol Sin; 37(8):1083-90, 2016.

TRAJANO, V.N.; LIMA, E.O; SOUZA, E.L. et al. Propriedade antibacteriana de óleos essenciais de especiarias sobre bactérias contaminantes de alimentos. Ciênc. Tecnol. Aliment.; 29(3): 542-545, 2009.

VANSCHOONBEEK, K.; THOMASSEN, B.J.W.; SENDEN, J.M. et al. Cinnamon Supplementation Does Not Improve Glycemic Control in Postmenopausal Type 2 Diabetes Patients. J Nutr.; 136(4): 977-980, 2006.

MEDAGAMA, A.B. The glycaemic outcomes of Cinnamon, a review of the experimental evidence and clinical trials. Nutr J;14:108, 2015.

ZIEGENFUSS, T.N.; HOFHEINS, J.E.; MENDEL, R.W. et al. Effects of a Water-Soluble Cinnamon Extract on Body Composition and Features of the Metabolic Syndrome in Pre-Diabetic Men and Women. J Int Soc Sports Nutr; 3(2): 45-53, 2006.

Hariri, M.; Ghiasvand, R. Cinnamon and Chronic Diseases.Advances In Experimental Medicine And Biology; 929:1-24, 2016.


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS