Consumo de peixes durante a gestação & microbiota do bebê


Consumo de peixes durante a gestação & microbiota do bebê

Publicado em 21/05/2020 às 15:27



Estudo recente publicado no periódico Current Developments in Nutrition buscou avaliar se o seguimento da recomendação de consumo de 2 a 3 porções/semana de peixes com baixos níveis de mercúrio no terceiro trimestre de gravidez, está associado a uma maior diversidade microbiana nos bebês.

Para tanto, foram analisados amostras fecais de 114 crianças e após o sequenciamento do gene 16S rRNA, os autores identificaram três perfis de microbiota fecal infantil: Bifidobacterium dominante, Enterobacter dominante e Escherichia dominante. Os resultados demonstraram que 20% das mães não atendiam ao consumo recomendado de peixe, e os bebês cujas mães atendiam à recomendação eram mais propensos a ter um perfil dominante de Bifidobacterium (e maior riqueza bacteriana) do que um perfil dominante de Escherichia.

Evidências já mostram que uma menor abundância de Bifidobacterium está associado a doenças atópicas, síndrome do intestino irritável, doença inflamatória intestinal e doença celíaca. Assim, essas descobertas apoiam a necessidade de expandir recomendações com foco nos efeitos benéficos do consumo de peixe no perfil da microbiota fecal infantil.

Referência bibliográfica:

SIMIONE, M; HARSHMAN, A.G; CASTRO, I. et al. Maternal fish consumption in pregnancy is associated with a Bifidobacterium-dominant microbiome profile in infants. Curr Dev Nutr; 4(1), 2020.