Dietas sustentáveis e manutenção de peso


Dietas sustentáveis e manutenção de peso

Publicado em 13/12/2019 às 11:42



É sabido que, atualmente, os sistemas alimentares industriais são os principais causadores de impactos negativo ao meio ambiente. Esses sistemas alimentares insustentáveis colocam em risco o ecossistema global e favorecem para o aparecimento de mudanças climáticas e doenças crônicas na população. A crescente prevalência da obesidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento de produtos altamente industriais e insustentáveis, pois os mesmos atuam em mudanças radicais no comportamento alimentar.

Recentemente, foi publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, um estudo que investigou a associação entre recursos sustentáveis, padrões alimentares e ganho de peso ao decorrer do tempo e risco de sobrepeso e obesidade usando dados longitudinais em uma perspectiva de coorte de adultos franceses. Para isso, em torno de 15.626 voluntários (dos quais 76% eram mulheres) preencheram um questionário de frequência semiquantitativa de alimentos orgânicos, para estimar o consumo de alimentos orgânicos e convencional e outro sobre as práticas alimentares, incluindo local de compra e frequência do uso de produtos pontos para o consumo. Após isso foram calculadas o índice nutricional holístico para 24 nutrientes (sendo eles: proteína; carboidratos totais; gordura total; PUFA; ácidos graxos n-3, n-6; fibras; vitaminas A, B1, B2, B3, B5, B6, B9, B12, C, D, e E; Ca; Mg; Zn; P; K; Fe; iodo; Se). E foram calculados o IMC de cada participante anualmente de 2014 a 2018

O Índice de Dieta Sustentável (IDS) varia de 4 (menor sustentabilidade) a 20 pontos e inclui 4 subíndices representando os 4 pilares de uma dieta sustentável. Para avaliar a associação entre quintis específicos de sexo (Qs) do IDS e risco de obesidade e excesso de peso, os autores utilizaram modelos mistos com diferentes níveis de ajustes. No decorrer do estudo os autores observaram que participantes com excesso de peso eram mais prováveis no grupo Q1, pois apresentaram padrões alimentares sustentáveis mais baixos. Os voluntários com maior IDS consumiram mais grãos integrais, frutas, vegetais, legumes e nozes durante o tempo de acompanhamento.  No mesmo período foram identificados 281 casos de obesidade e 777 casos de excesso de peso, sendo mais incidente em participantes do grupo Q1 do que em participantes do grupo Q5. As descobertas deste estudo apontam que dietas mais sustentáveis apresentem um potencial papel protetor, a fim de evitar o risco de ganho de peso, sobre peso e obesidade.  

Referência bibliográfica:

SECONDA, L.; EGNELL, M.; JULIA, C.; et al. Association between sustainable dietary patterns and body weight, overweight, and obesity risk in the NutriNet-Santé prospective cohort. The American Journal of Clinical Nutrition; 2019.