Licopeno & saúde cognitiva


Licopeno & saúde cognitiva

Publicado em 01/10/2019 às 09:03



O licopeno é um importante carotenoide responsável pela coloração vermelha de muitos alimentos, como o tomate. A ingestão alimentar de tomate e seus subprodutos contendo licopeno tem sido associada a um risco reduzido de doenças crônicas, como câncer e doenças cardiovasculares. As ações protetoras do licopeno frente doenças crônicas são justificadas pela sua potente ação antioxidante e anti-inflamatória, modulando, assim, eventos moleculares associados à gênese deste grupo de doenças. Mais recentemente, estudos vêm mostrando que, além destas ações, o licopeno pode desempenhar ação neuroprotetora, reduzindo o risco de doenças neurodegenerativas1.

Dentro deste contexto, recentemente, foi publicado um estudo com o objetivo de investigar o efeito inibitório do licopeno sobre os efeitos prejudiciais de uma dieta típica ocidental e rica em frutose na cognição. Os pesquisadores encontraram que a suplementação com licopeno foi capaz de atenuar a redução da memória e a disfunção sináptica que ocorre com o prejuízo da função cognitiva. Ainda, foi encontrada uma atenuação da resistência à insulina e da elevação de marcadores inflamatórias frente ao consumo da dieta2. Com estes resultados, é possível concluir que o licopeno pode ser uma estratégia nutricional útil para o funcionamento inadequado do sistema nervoso central, embora estudos em humanos sejam necessários para a comprovação do efeito encontrado.

Referências bibliográficas:

  1. Crowe-White, K.M.; Phillips, T.A.; Ellis, A.C. Lycopene and cognitive function. J Nutr Sci; 8: e20, 2019.
  2. WANG, J.; WANG, Z.; LI, B.; et al. Lycopene attenuates western-diet-induced cognitive deficits via improving glycolipid metabolism dysfunction and inflammatory responses in gut–liver–brain axis. International Journal of Obesity; 43: 1735–1746, 2019.

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS