Ingestão de proteínas: alimento ou suplemento?


Ingestão de proteínas: alimento ou suplemento?

Publicado em 23/08/2019 às 07:29



A ingestão regular de proteínas de alta qualidade é importante para otimizar a estimulação das taxas de síntese proteica muscular pós-prandial como forma de melhorar a remodelação do músculo esquelético.

O efeito do consumo de proteína através da matriz alimentar ainda é pouco evidenciado, já que a maioria dos estudos focam nos efeitos das frações proteicas isoladas. Levando em conta a importância de cada vez mais investirmos em um padrão alimentar que priorize o alimento integral, foi publicado um estudo no AJCN comparando as respostas de síntese de proteína muscular após o consumo de ovos inteiros e de claras de ovos durante o período de recuperação ao exercício. Através de um desenho crossover, 10 homens treinados receberam infusões contínuas de fenilalanina e leucina e, em seguida, foram coletadas biópsias musculares e amostras de sangue para a determinação da sinalização intramuscular e síntese de proteína miofibrilar.

Após os procedimentos descritos, os participantes realizaram, em jejum, um protocolo de exercício resistido que consistiu em 4 séries de 10 repetições a 80% de 10 RM para dois exercícios de pernas (cadeira extensora e leg press). Após o exercício, os participantes consumiram ovos inteiros (18g de proteína, 17g de lipídios) ou claras de ovos (18g de proteína, 0g de lipídios). Amostras de sangue e biópsias musculares foram coletadas novamente para avaliação do balanço proteico muscular. Como resultado, foi encontrado que a biodisponibilidade de leucina no período pós-prandial foi similar após o consumo de ovos inteiros ou de claras de ovos. O consumo de ambos esteve associado com o aumento da fosforilação de proteínas que estimulam a síntese proteica, como a mTOR e proteína ribossomal S6 quinase durante o período de recuperação ao exercício. Apesar disso, a ingestão de ovos inteiros, em comparação à ingestão de claras de ovos apenas, potencializou a taxa de síntese de proteína miofibrilar no período pós-exercício. Os autores discutem que esse fato pode ser justificado pela maior rapidez com que a leucina chega à circulação após o consumo de ovos inteiros, em comparação com o consumo de claras de ovos.

Apesar de ainda existir pouca informação disponível sobre os efeitos da ingestão de proteína advinda de fonte alimentar na regulação do metabolismo proteico, esse estudo mostra que é possível, dentro de uma alimentação balanceada e individualizada, alcançarmos as recomendações diárias.  Consulte seu nutricionista!!

Referência bibliográfica:

VAN, V.S. et al. Consumption of whole eggs promotes greater stimulation of postexercise muscle protein synthesis than consumption of isonitrogenous amounts of egg whites in young men. Am J Clin Nutr; 106(6):1401-1412, 2017.




ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS