Quais alimentos influenciam a acne?


Quais alimentos influenciam a acne?

Publicado em 20/05/2019 às 17:46



A acne, doença de pele de caráter inflamatório e multifatorial, tem sido mostrada ser diretamente influenciada por fatores dietéticos. Observam-se maiores taxas de prevalência em países ocidentais e, interessantemente, populações consumindo dietas que se assemelham à dieta paleolítica (exclusão de açúcares, cereais e laticínios) possuem prevalência baixa ou ausente de acne. Nesse sentido, diversos alimentos e abordagens dietéticas têm sido relacionados com o risco da doença1.

Estudo controlado por placebo e randomizado em grupos paralelos mostrou que a ingestão de uma dieta de baixa carga glicêmica durante um período de 12 semanas melhorou os sinais clínicos da acne e a taxa de excreção de sebo em indivíduos do sexo masculino com acne2.  Sabe-se que alimentos hiperglicêmicos estimulam o aumento exacerbado de insulina e do fator de crescimento símile à insulina (IGF-1), que, por sua vez, estimula o aumento da atividade da proteína alvo da rapamicina em mamíferos (mTOR). A excessiva ativação da mTOR aumenta a secreção de hormônios andrógenos e a lipogênese sebácea, ambos relacionados com a acne1.

Estudos mostram que o consumo de laticínios também está associado com a presença de acne.  Recente meta-análise incluindo 14 estudos observacionais mostrou que o alto consumo de leite (independente de ser integral ou desnatado) esteve associado com o aumento da chance de acne em 161%, em comparação com o baixo consumo. Nas análises de dose-resposta, foi encontrado que um aumento no consumo de laticínios de 177 g/dia esteve associado positivamente com a acne (aumento do risco em 83%). Os resultados são justificados pelo aumento dos níveis de IGF-1 provocado pelo consumo de laticínios que, conforme explicado acima, aumenta a ativação da mTOR.

Assim, para controle da acne, é importante a exclusão de alimentos hiperglicêmicos e insulinêmicos, como doces e refrigerantes, e a inclusão de alimentos de baixa carga glicêmica, como cereais integrais, oleaginosas e frutas (como abacate, maçã, abacaxi, morango e ameixa)1. Além desses, alimentos ricos em gorduras boas, como as mono e poli-insaturadas, presentes no azeite de oliva extra virgem, oleaginosas, sementes e peixes, são importantes por desempenhar atividade anti-inflamatória, impactando por consequência na acne1.

Referências bibliográficas:

  1. MELNIK, B. Dietary intervention in acne: Attenuation of increased mTORC1 signaling promoted by Western diet. Dermatoendocrinol; 4(1): 20-32, 2012.
  2. SMITH, R.N.; MANN, N.J.; BRAUE, A. et al. A low-glycemic-load diet improves symptoms in acne vulgaris patients: a randomized controlled trial. Am J Clin Nutr; 86(1): 107-15, 2007.
  3. AGHASI, M.; GOLZARAND, M.; SHAB-BIDAR, S. et al. Dairy intake and acne development: A meta-analysis of observational studies. Clin Nutr; 38(3): 1067-1075, 2019.

 

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS