Aeróbicos? Endurance? HIIT? Contínuos? Cíclicos? Professor, o que eu faço para emagrecer?


Aeróbicos? Endurance? HIIT? Contínuos? Cíclicos? Professor, o que eu faço para emagrecer?

Publicado em 16/04/2019 às 07:49



A discussão dos tipos de exercícios, métodos, variáveis agudas de esforço e metabolismo energético vem, desde muito tempo, chamando a atenção da literatura científica e dos entusiastas envolvidos na rotina da ciência do treinamento físico voltada ao emagrecimento1. Mais recentemente, em especial na última década, essa discussão tem se avolumado substancialmente, tendo em vista desde os interesses pessoais e as possibilidades de mercado, passando por questões fundamentais como as preferências pessoais, as necessidades particulares, a eficiência/eficácia dos métodos, as especificidades em questão, a taxa de adesão aos programas e as individualidades envolvidas2,3.

Dentro deste cenário, reforça-se, portanto, o entendimento das escolhas das capacidades físicas, dos meios e métodos, além das variáveis agudas a serem manipuladas e suas respectivas influências no emagrecimento, sem querer atribuir uma discussão maniqueísta entre estas ou ainda uma escala hierárquica de importância entre as mesmas, uma vez que a escolha dos modelos/protocolos/variáveis de treino com fins emagrecedores devem considerar aspectos como eficiência/eficácia literária dos mesmos, aderência ao processo de treinamento, preferências por parte do indivíduo que realiza, assim como seu respectivo histórico de treino, frequência semanal/mensal dedicada aos treinos e a organização/planejamento dos esforços em longo prazo4.

Isso e muito mais será abordado na palestrada “Aeróbicos? Endurance? HIIT? Contínuos? Cíclicos? Professor, o que eu faço para emagrecer?”, que será proferida pelo Prof. Fernando Oliveira Catanho da Silva no II Congresso Sul Brasileiro de Nutrição Funcional. O objetivo da palestra será destacar a diversidade de possibilidades emagrecedoras do ponto de vista do fitness, tendo como atenção especial a intensidade e o volume empregados nas sistemáticas de treinamento5. Por fim, serão situadas de maneira breve, as relações primordiais entre os aspectos nutricionais e as variáveis intensidade e volume dos treinos, correlacionando o aspecto nutricional às características dos treinos físicos6. Não perca! 

Por: Fernando Oliveira Catanho da Silva

  1. STOGGL, T.L.; SPERLICH, B. The training intensity distribution among well-trained and elite endurance athletes. Front Physiol, 6:1-14, 2015.
  2. LAURSEN, P.B. Training for intense exercise performance: high-intensity or high-volume training? Scand J Med Sci Sports; 20:1-10, 2010. 
  3. GENTIL, P.; FISHER, J.; STEELE, J.; CAMPOS, M.H.; SILVA, M.H.; PAOLI, A.; GIESSING, J.; BOTTARO, M. Effects of equal-volume resistance training with different training frequencies in muscle size and strength in trained men. Peer J; 22:1-12, 2018.
  4.  VIANA, R.B.; NAVES, J.P.A.; COSWIG, V.S.; DE LIRA, C.A.B.; STEELE, J.; FISHER, J.P.; GENTIL, P.  Is interval training the magic bullet for fat loss? A systematic review and meta-analysis comparing moderate-intensity continuous training with high-intenssity interval training (HIIT). Br J Sports Med; 2019. 
  5. KEATING, S.E.; JOHNSON, N.A.; MIELKE, G.I.; COOMBES, J.S. A systematic review and meta-analysis of interval training versus moderate-intensity continuous training on body adiposity. Obes Rev; 18: 943-964, 2017. 
  6. JEUKENDRUP, A.E. Periodized Nutrition for Athletes, Sports Med; 47:51-63, 2017.

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS