Plantas para saúde cardiovascular


Plantas para saúde cardiovascular

Publicado em 28/01/2021 às 15:26



A fitoterapia pode ser uma importante aliada em nossas intervenções nutricionais, reduzindo o risco de diversas doenças – como as cardiovasculares, que estão entre as principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo1.

Em primeiro instante, diversos compostos bioativos encontrados nestas plantas podem beneficiar a saúde endotelial, promovendo redução de fatores inflamatórios, que interferem na homeostase pressórica e aumentam o risco de aterosclerose e seus eventos adversos2.  

Como exemplo, a Curcuma longa tem sido proposta, especialmente pela presença da curcumina – potente agente anti-inflamatório. Um recente estudo realizado com ratos hipertensos e propensos ao infarto agudo do miocardio indicou que a administração da curcumina reduziu as concentrações de compostos oxidantes e melhorou a função endotelial, com aumento da produção de oxido nítrico – importante agente vasodilatador2. De forma complementar, uma meta-análise que envolveu 649 indivíduos enfatizou o efeito hipolipemiante da curcumina, podendo ser utilizada como uma estratégia em casos de dislipidemia, em colaboração ao efeito do medicamento prescrito3.

Plantas que apresentam efeito diurético também são propostas para redução do risco cardiovascular, uma vez que a retenção hídrica pode ser correlacionada com o aumento dos níveis pressóricos. Neste contexto, um estudo realizado com pacientes que apresentavam diagnóstico de hipertensão indicou melhora dos níveis pressóricos com o uso de Hibiscus sabdariffa, após 4 semanas de administração4.

A cavalinha (Equisetum arvense) é outra planta sugerida para melhorar a diurese e reduzir os níveis pressóricos. Em um estudo realizado com 36 indivíduos, observou-se que a utilização da planta teve efeito semelhante ao do medicamento hidroclorotiazida, sem causar efeitos adversos. Entretanto, é importante ressaltar que o uso do medicamento deve ser acompanhado por um médico capacitado5.

Portanto, o uso de fitoterápicos pode ser uma estratégia interessante para reduzir o risco de doenças cardiovasculares, sendo aliados ao tratamento farmacológico, quando orientado por um profissional capacitado.

Referências Bibliográficas:

1-CALVO, M.I.; CAVERO, R.Y. Medicinal plants used for cardiovascular diseases in Navarra and their validation from oficial sources. J Ethnopharmacol; 157:268-73, 2014.

2-QUIN, S.; HUANG, L.; GONG, J. et al Efficacy and safety of tumeric and curcumin in lowering blood lipid levels in patients with cardiovascular risk factors: a meta-analysis of randomized controlled trials. Nutr J; 15(1):68, 2017.

3-LAN, C.; CHEN, X.; ZHANG, Y. et al. Curcumin prevents strokes in stroke-prone spontaneously hypertensive rats by improving vascular endothelial function. BMC Cardiovasc Disord; 18(1):43, 2018.

4-SECK, S.M.; DOUPA, D.; DIA, D.G. et al. Clinical efficacy of African Traditional medicines in hypertension: a randomized controlled trial with combretum micranthum and hibiscos sabdariffa. J Hum Hypertens; 32(1):75-81, 2017.

5-CARNEIRO, D.M.; FREIRE, R.C.; HONORIO, T.C. et al. Randomized, double-blind clinical trial to assess the acute diuretic effect of Equisetum arvense (Fiel Horsetail) in Healthy volunteers. Evid Based Complement Alternat Med; 2014: 760683, 2014.