Lentilhas e inflamação


Lentilhas e inflamação

Publicado em 17/12/2018 às 15:46



As lentilhas são leguminosas que podem fazer parte dos nossos hábitos alimentares saudáveis, contribuindo com o consumo de nutrientes importantes para o equilíbrio de nosso organismo1,2.

Seus benefícios podem ser observados em nível intestinal. Pela presença de amido resistente, alguns estudos sugerem o seu consumo para a melhora da microbiota intestinal, favorecendo todas as reações orgânicas que estão associadas a este órgão. Um recente estudo realizado em modelo animal de indução de obesidade indicou que o consumo de uma dieta rica em lentilhas promoveu mudanças na microbiota, com redução na colonização de bactérias patogênicas. Esta mudança pode ser interessante para melhora da saúde intestinal e redução de fatores inflamatórios que prejudicam os nossos sistemas 3.

Ainda com relação à inflamação, um estudo realizado com indivíduos diagnosticados com diabetes tipo 2 indicou que a substituição de 2 porções de carne vermelha, 3 vezes na semana, por leguminosas – incluindo a lentilha – reduziu parâmetros inflamatórios que são considerados potentes gatilhos para doenças metabólicas. Vale ressaltar que a lentilha apresenta bom aporte proteico, que em sinergia com outros alimentos fontes, pode fornecer todos os aminoácidos essenciais para o nosso dia4.

De forma complementar, alguns estudos sugerem o consumo de lentilhas – entre outras leguminosas como grão de bico e ervilhas – para diminuir a carga glicêmica das principais refeições, especialmente pela quantidade de fibras que apresentam5.

Portanto, incluir lentilhas em uma alimentação saudável pode ser uma interessante estratégia para reduzir marcadores inflamatórios, que desencadeiam doenças que prejudicam nossa qualidade de vida.

Referências Bibliográficas:

1.ANDERSON, G.H.; CHO, C.E.; AKHAVAN, T. et al. Relation between estimates of cornstarch digestibility by the englyst in vitro method and glycemic response, subjective apetite, and short-term food intake in young men. Am J Clin Nutr; 91(4):932-9, 2010.

2.HERRERA, T.; DEL-HIERRO, J.N.; FORNARI, T. et al. Acid hydrolysis of saponin-rich extract of quinoa, lentil, fenogreek and soybean to yield sapogenin-rich extracts and other bioactive compounds. J Sci Food Agric; 2018. doi: 10.1002/jsfa.9531

3.SIVA, N.; JOHNSON, C.R.; RICHARD, V. et al. Lentil (Lens culinaris Medikus) diet affects the gut microbiome and obesity markers in rats. J Agric Food Chem; 66(33):8805-8813, 2018.

4.HOSSEINPOUR-NIAZI, S.; MIRMIRAN, P.; FALLAH-GHOHROUDI, A. et al. Non-soya legume-based therapeutic lifestyle change diet reduces inflammatory status in diabetic patients: a randomized cross-over clinical trial. Br J Nutr; 114(2):213-9, 2015.

5.MOLLARD, R.C.; WONG, C.L.; LOHOVYY, B.L. et al. First and second meal effects of pulses on blood glucose, apetite, and food intake at a later meal. Appl Physiol Nutr Metab; 36(5):634-42, 2011.

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS