VP - Nutrição Funcional

Blog Oficial - www.vponline.com.br

EFEITOS DOS EXERCÍCIOS NO EMAGRECIMENTO

Matéria publicada na revista Época em março de 2009 levanta um antigo questionamento da contribuição dos aspectos quantitativos sobre o gasto energético do ser humano em contraste com o consumo energético via alimentação durante o processo de emagrecimento em indivíduos obesos. Tal matéria comenta que a perda de “massa” ocorre quando o corpo ingere menos energia do que gasta, e evidencia que o gasto energético proporcionado pelo exercício físico pode chegar a 25% de um gasto energético diário de uma pessoa fisicamente ativa; porém exercícios que promovam altos gastos calóricos seriam menos indicados a esta população devido à falta de preparo e uma possível associação a co-morbidades interligadas. Entretanto, “reduzir o tamanho do prato” seria um contribuinte muito importante para alcançar os objetivos da manutenção do peso corporal.

Ultimamente as pesquisas vêm apontando a grande importância das alterações metabólicas promovidas pelos aspectos qualitativos da terapia nutricional e dos exercícios físicos, e que muitas vezes contradizem a teoria sobre a importância quantitativa baseados apenas em consumo e gasto energético. O exercício deixou de ser apenas um “gastador de calorias” e passou a ser um importante contribuinte nas alterações fisiológicas funcionais do organismo, no aspecto aeróbico (melhorando a utilização do oxigênio inspirado, promovendo alterações significativas no perfil lipídico e glicêmico, melhorando o trânsito intestinal, e modulando a pressão arterial), e no caráter anaeróbico (mesmo sendo exercícios como esteira, bicicletas, etc, e os de força propriamente ditos), onde promovem manutenção e aumento da massa magra corporal (fator este que interfere indiretamente no gasto energético), melhoram a captação de glicose independente da insulina, previnem lesões, melhoram a saúde óssea, promovem melhorias das atividades diárias funcionais do sistema locomotor e exercem um fator importante no aspecto psicológico, promovendo melhoria da auto estima e resistência a dor.

Do ponto de vista nutricional, a prevalência do aspecto qualitativo é ainda maior, pois a ingestão de alimentos que contenham características funcionais e que exerçam papéis importantes na reversão do quadro clínico característico do obeso, independente de seu valor calórico, é comumente incentivada. Recentes pesquisas revelaram o caráter anti-inflamatório de certos tipos de óleos, castanhas, sementes e frutas ricas em gorduras e polifenóis, que são capazes de prevenir e combater a inflamação causada pela citocinas inflamatórias produzidas pelo próprio tecido adiposo em excesso. Já os alimentos ricos em antioxidantes, encontrados em frutas e sucos, são importantes para promover o equilíbrio do estresse oxidativo causado pelas co-morbidades associadas à obesidade, além de outros benefícios como a melhoria do trânsito intestinal, diminuição da absorção de gorduras e do colesterol sérico, melhora da microbiota intestinal, diminuição do índice glicêmico e oferta de micronutrientes formadores de enzimas. Tais efeitos também são promovidos pelos cereais e grãos integrais, que por sua vez podem até possuir maior valor calórico que seus similares nas versões refinada, diet e light que por outro lado são possíveis causadores de obesidades e inflamações.

Conclui-se então que o monitoramento do balanço energético não deve ser deixado de lado, e sim realizado com base em alimentos que possam conter calorias, porém que sejam acompanhadas de compostos funcionais voltados a individualidade bioquímica de cada paciente e associados às alterações metabólicas funcionais promovidas pelo exercício físico, e não apenas baseado em calorias ditas “vazias” contrabalanceadas com os gastos energéticos dos exercícios.

** Texto elaborado por Vitor Teixeira Granuzzo, aluno bolsista do curso de pós-graduação em Nutrição Clínica Funcional (VP Consultoria Nutricional/ Divisão Ensino e Pesquisa)

10 Respostas para EFEITOS DOS EXERCÍCIOS NO EMAGRECIMENTO »»


Comentário

  1. Comentário de mari | 18/06/2009 em 11:43:47

    Oi…. eu gostaria de saber, se o omega 3 da forever living, é livre de mercurio, pedi laudo mas nao me enviaram. obrigada

  2. VP
    Comentário de VP | 18/06/2009 em 12:33:09

    Olá Mari,

    Infelizmente não temos essa informação, a empresa é que terá o laudo para confirmar se existe alguma contaminação em mercúrio. É interessante você entrar em contato novamente com a empresa.

    Um abraço,

    Dra. Valéria Paschoal

  3. Comentário de Cesar Meirim | 27/06/2009 em 17:43:31

    Boa tarde, Dra. Valéria.

    Tenho 44 anos, estou sedentário no momento, porém me programando para iniciar atividade física, li várias matérias sobre a utilização de alimentos termogênicos e fiquei curioso sobre a eficácia do vinagre de maçã
    (1 1/2 col. (chá) num copo de água morna 2X/dia)
    para diminuir a circunferência abdominal. Isto realmente procede? Ou somente uma alimentação adequada e equilibrada associada a prática de atividade física regular é o suficiente para reduzir a minha circunferência abdominal?

  4. VP
    Comentário de VP | 29/06/2009 em 11:41:41

    Olá Cesar, como vai?

    Fizemos uma pesquisa científica para verificar quais são os benefícios comprovados do vinagre de maçã, e não encontramos nenhum trabalho científico que comprove esta redução na gordura abdominal. Encontramos apenas um estudo que comprova sua ação antitumoral, porém um estudo verificou que o vinagre de maçã acelera o esvaziamento do estômago, fazendo com que a glicose da alimentação seja absorvida mais rapidamente, o que não é interessante para quem deseja obter perda de peso abdominal, pois estudos indicam que elevados níveis de glicose circulantes no sangue estão associados com o acúmulo de gordura abdominal. Entretanto, não podemos nos esquecer dos nutrientes interessantes presentes no vinagre de maçã. Portanto, o vinagre de maçã pode ser incorporado sim a uma alimentação habitual, mas não como uma forma de tratamento para determinada condição.

    Em relação a outros produtos termogênicos comercializados para praticantes de atividade física, eles são muito utilizados por estes, porém deve-se ter cautela em qual tipo de produto será utilizado. Estudos já relacionam uma boa ação termogênica do chá verde, que pode ser facilmente incorporado a uma alimentação saudável. Devemos lembrar que uma alimentação saudável associada a prática de exercícios físicos é a melhor forma de se obter uma perda de peso saudável, ou seja, que você elimine a gordura abdominal excedente, mas mantenha sua massa muscular intacta.

    Caso você tenha interesse, podemos indicar um nutricionista capacitado que poderá lhe indicar as melhores estratégias para alcançar os resultados que você deseja.

    Qualquer dúvida nos escreva novamente.

    Um abraço,

    Dra. Valéria Paschoal

  5. Comentário de Tamara | 04/09/2009 em 14:57:58

    Olá Valéria!

    O blog está muito bom, ainda mais com os seus comentários! Adoro!

    Fugindo um pouco do assunto, o que você recomendaria (alimentos ou suplementação) para pacientes com sobrepeso (IMC=29 Kg/m2), apresentando dislipidemia mista e esteatose hepática, além da reeducação alimentar, mudança de hábito e atividade física sob orientação?

  6. VP
    Comentário de VP | 08/09/2009 em 11:19:02

    Olá Tamara,

    A alimentação neste caso é a base do tratamento. É preciso fazer uma reeducação alimentar que pode ser acompanhada com uma suplementação individualizada, caso necessário, mas para definir se é necessário e o que é necessário tanto na alimentação quanto na suplementação irá depender de outros fatores que precisam ser avaliados individualmente.
    Neste caso o melhor é procurar um nutricionista para uma orientação adequada que irá avaliar uma série de fatores contribuintes.

    Um abraço.

    Dra. Valéria Paschoal.

  7. Comentário de Marta | 06/04/2010 em 12:32:27

    Olá, gostaria de saber se a VP juntamente com a Dra. Andreia Naves tem planos de lançamento de algum livro de esportiva funcional.
    Obrigada.

  8. VP
    Comentário de VP | 13/04/2010 em 07:43:09

    Olá Marta,

    Em breve lançaremos um Tratado de Nutrição Esportiva Funcional!

    Aguarde!

    Um abraço.

    Dra. Valéria Paschoal.

  9. Comentário de Luciana | 31/10/2012 em 09:48:57

    Olá!!!
    Tenho dúvidas a respeito da utilização de nutrientes antioxidantes durante o exercício físico. Por que alguns profissionais não indicam? O mesmo vale para alimentos com ação anti-inflamatória.

    Muito obrigada.
    Luciana.

  10. VP
    Comentário de VP | 10/11/2012 em 20:27:50

    Olá Lucinana,

    Realmente este tema é um pouco controverso. Durante o exercício físico há lesão celular e aumento de inflamação, portanto, seria interessante a suplementação de antioxidantes e substâncias e alimentos anti-inflamatórios para modular esta situação,porém, esta orientação é controversa, visto que estas alterações deveriam ser preservadas para conseguir obter a adaptação à atividade física tão necessária para melhora do desempenho.

    Portanto, dependendo da visão do profissional é possível uma conduta ou outra. Vale também ressaltar que depende do objetivo do paciente, se é busca de qualidade de vida em geral ou desempenho esportivo visando competições, por exemplo.

    Um abraço.

    Dra. Valéria Paschoal.


Enviar Comentário »»